Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

  • 08/01/2014
  • 18:17
  • Atualização: 18:44

Dennis Rodman canta "Parabéns" para líder norte-coreano

Jogador de basquete rechaçou críticas e participou de exibição em homenagem a Kim Jong-Un

Jogador de basquete rechaçou críticas e participou de exibição em homenagem a Kim Jong-Un | Foto: Wang Zhao/AFP/CP

Jogador de basquete rechaçou críticas e participou de exibição em homenagem a Kim Jong-Un | Foto: Wang Zhao/AFP/CP

  • Comentários
  • AFP

O ex-jogador de basquete Dennis Rodman cantou "Parabéns a você" para o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un. A celebração aconteceu nesta quarta-feira, em Pyongyang, antes do astro participar de uma partida comemorativa com outros ex-jogadores da NBA.

Rodman vem sendo muito criticado por não se posicionar a respeito das violações dos direitos humanos no país asiático, além de não ter defendido um americano preso na Coreia do Norte, em suas várias visitas ao país e ao líder que ele chama de "amigo para a vida". Ele rebateu as críticas, afirmando simplesmente que foi ao país para comemorar o aniversário de um amigo, segundo a agência chinesa Xinhua.

As festividades com o jogador teriam causado "frisson no público presente", conforme a agência chinesa. Em sua quarta visita à Coreia do Norte, o polêmico ex-atleta chegou na segunda-feira junto com outros jogadores aposentados: Doug Christie, Craig Hodges e Charles D. Smith.

A agência Xinhua explicou que Rodman jogou apenas o primeiro tempo da partida contra uma equipe da Coreia do Norte, antes de trocar de roupa e se juntar a Kim. Eles conversaram e fumaram enquanto assistiam ao jogo. Kim, que estudou na Suíça, é conhecido por ser um fã de basquete, em especial do Chicago Bulls, ex-time de Rodman.

Rodman, entrevistado em Pequim na segunda-feira, quando se preparava para embarcar para Pyongyang com o grupo de ex-jogadores da NBA, afirmou que não pretende importunar Kim falando da repressão na Coreia do Norte porque o líder comunista é seu amigo.

Kim, que acredita-se ter cerca de 30 anos, deu ordens no mês passado para a execução de seu poderoso tio e mentor político, Jang Song-Thaek, acusado de ser um traidor por estar envolvido em esquemas de corrupção.
A Coreia do Norte sofre com pesadas críticas e sanções internacionais em função de violações aos direitos humanos no país, além do programa nuclear e das ameaças de guerra.


Bookmark and Share