Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 10/01/2014
  • 19:22
  • Atualização: 22:59

Secretário afirma ser vítima de fraudes descobertas na Operação Kilowatt

Busato salientou que servidores envolvidos em desvios foram afastados

Busato salientou que servidores envolvidos em desvios foram afastados | Foto: Gustavo Gargioni / Palácio Piratini / CP

Busato salientou que servidores envolvidos em desvios foram afastados | Foto: Gustavo Gargioni / Palácio Piratini / CP

  • Comentários
  • Voltaire Porto / Rádio Guaíba

O secretário de Obras, Luiz Carlos Busato, declarou ter sido vítima das fraudes apontadas no processo de investigação da Polícia Civil em obras contratadas pela pasta. Ele afirmou, nesta sexta-feira, não se considerar réu da Operação Kilowatt, que prendeu oito pessoas, incluindo três servidores da Secretaria. Seis já foram afastados, incluindo três servidores investigados, dois deles filiados ao PTB, assim como o secretário.

Busato também relatou que vai pedir ao governador Tarso Genro a permanência no cargo até o período máximo possível. "Já havia informado à Casa Civil que pretendia me desligar em novembro e só protelei em função do aguardo por anúncios positivos do governo federal que vão beneficiar a Secretaria. Tenho uma trajetória limpa na vida pública e nas relações com empresários, quero provar até o fim da investigação que não tenho nenhum envolvimento, com qualquer tipo de esquema", enfatizou.

O secretário comentou que ainda desconhece a data em que o governador vai promover a reforma do secretariado. Ele é um dos integrantes do primeiro escalão que pretendem concorrer, em outubro, a uma vaga de deputado federal.

Com a exoneração do secretário-adjunto Germano Dalla Valentina, outro problema criado pela Operação é a falta de substituto na pasta após a reforma do secretariado, já que a garantia do governador é de que o comando vai continuar com o PTB. "Sugeri interinamente, durante o período da sindicância, a indicação do auditor do TCE João Carlos de Almeida Santos. O governador é quem define e, por enquanto, o PTB não está preocupado em encontrar um adjunto, embora tenhamos vários nomes qualificados para me substituir", ponderou Busato.

O secretário da Casa Civil, Carlos Pestana, valorizou a decisão do secretário de exonerar dois diretores e o adjunto. "Eles são investigados e a polícia foi às casas desses agentes públicos fazer buscas e apreensões. Desse modo, o afastamento se justifica. Outro ponto importante é que a postura do secretário, de determinar os desligamentos, vem de encontro com as orientações do governador Tarso Genro, que já havia pedido o distanciamento de todos os supeitos", enfatizou Pestana.

Os secretários de Estado ainda adiantaram que os mecanismos de defesa para prevenir e evitar casos de corrupção serão revistos. Entre as metas está a ampliação das fiscalizações e a participação efetiva de outros agentes públicos. "Um exemplo muito citado foi o do telhado da Escola Oscar Pereira, na zona Sul. A diretora da instituição desconfiou de um trabalho mal feito e encaminhou denúncias. A partir de agora, todos os diretores de escola, por exemplo, terão uma participação ativa nas fiscalizações de obras nos locais de ensino, colaborando com a gestão da obra e com o governo", explicou Busato.

Bookmark and Share