Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 12/01/2014
  • 15:54

Funcionários de CFCs decidem por estado de greve no RS

Categoria promete paralisar a partir do dia 30 caso patronal não aceite contraproposta

  • Comentários
  • Camila Kila / Rádio Guaíba

Trabalhadores de Centros de Formação de Condutores (CFCs) gaúchos aprovaram estado de greve em assembleia realizada nesse sábado na Capital. Os cerca de 300 participantes, oriundos de diversas regiões, rejeitaram a última proposta feita pelo Sindicato dos Centros de Formação de Condutores do RS (Sindicfc/RS).

O presidente do Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio do Estado do Rio Grande do Sul (SEAACOM-RS), José Providel, sugeriu uma contraproposta, que foi acatada pela categoria. Ela abrange salário de R$ 1.450 para instrutores práticos e teóricos, R$ 1 mil para servidores administrativos e atendentes e R$ 868 para office-boys e trabalhadores de limpeza, além de cesta básica de R$ 150. Caso não haja aceitação nas próximas semanas, os funcionários prometem deflagrar greve a partir do dia 30 de janeiro. A contraposta prevê índice de reajuste de aproximadamente 7,5% para quem ganha mais que o piso.

O Sindicfc havia oferecido R$ 1.404,40 aos diretores, R$ 1.309 para instrutores, R$ 917,40 para administrativos e R$ 800,80 para office-boys e funcionários da limpeza, além de R$ 90 de auxílio alimentação. Os 273 centros de formação envolvem 9.640 trabalhadores que atendem 57 mil condutores por mês em todo o Rio Grande do Sul.

Bookmark and Share