Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 13/01/2014
  • 15:33
  • Atualização: 15:39

Diretora entrega documentos e fotos sobre reforma em telhado de escola

Operação Kilowatt detectou que obra no prédio foi realizada parcialmente

Operação Kilowatt detectou que obra no prédio foi realizada parcialmente | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

Operação Kilowatt detectou que obra no prédio foi realizada parcialmente | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Samantha Klein / Rádio Guaíba

A diretora da Escola Estadual Oscar Pereira, Ana Regina Jardim, presta depoimento à Polícia Civil sobre as reformas feitas no telhado dos prédios, onde foram detectados problemas na execução da obra por meio da operação Kilowatt, deflagrada na semana passada. A professora entregou nesta segunda documentos e fotos à polícia do período em que foi comandada a reforma.

De acordo com Ana Regina, as diversas irregularidades no local foram comunicadas para a Secretaria Estadual da Educação no ano passado. A obra ocorreu entre julho de 2012 e dezembro do ano passado e teve custo superior a R$ 1 milhão.

Para o Correio do Povo, a diretora havia antecipado que tinha reclamado da reforma até para a empresa. “Eu dizia o tempo todo para o presidente da empresa que se dessem esse dinheiro na minha mão eu teria feito duas escolas”, recorda.

O diretor administrativo da Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul, Cláudio Somacal, foi afastado na manhã desta segunda-feira. Com ele, já são sete pessoas que deixaram o cargo em decorrência das investigações da operação.

Na sexta-feira, o titular da Secretaria de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento Urbano do Rio Grande do Sul, secretário Luiz Carlos Busato, anunciou que três servidores investigados pela operação Kilowatt pediram afastamento dos cargos: o secretário adjunto da pasta, Germano Dalla Valentina (PTB); o diretor-geral da secretaria, Eli Pegoraro (PTB); e o diretor de Obras Públicas, Odir Baccarin.



Bookmark and Share