Correio do Povo

Porto Alegre, 27 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
11ºC
Amanhã
18º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

13/01/2014 15:39 - Atualizado em 13/01/2014 17:03

Alagamentos deixam 2,2 mil pessoas desalojadas em SC

Números da Defesa Civil apontam para a destruição de 135 ruas e avenidas de Penha

Alagamentos deixaram 2,2 mil pessoas desalojadas em SC<br /><b>Crédito: </b> Johnny Coelho / Defesa Civil / CP
Alagamentos deixaram 2,2 mil pessoas desalojadas em SC
Crédito: Johnny Coelho / Defesa Civil / CP
Alagamentos deixaram 2,2 mil pessoas desalojadas em SC
Crédito: Johnny Coelho / Defesa Civil / CP

A Defesa Civil Municipal de Penha (SC) atualizou nesta segunda os números da destruição causada pelas fortes chuvas do final de semana. De acordo com o presidente do Conselho Municipal da Defesa Civil, Johnny Coelho, 980 famílias foram afetadas pelos alagamentos, totalizando 2.200 pessoas desalojadas. “Não há famílias desabrigadas”, explica Johnny. Indiretamente, 9.800 pessoas foram atingidas com os 200 milímetros de chuva da madrugada de sábado.

“Das 2,2 mil pessoas que ficaram desalojadas, 700 ainda não voltaram para casa”, ressaltou. Os números também apontam para a destruição de 135 ruas e avenidas da cidade. Pelo menos 500 casas foram atingidas por raios e seis pontes ficam danificadas.

• Penha tem 200 mm de chuva em 80 minutos e decreta emergência

“Foi um volume de chuva muito grande em um período de tempo muito curto. Penha nunca esteve tão destruída como agora”, definiu o prefeito Evandro Eredes dos Navegantes, que decretou situação de emergência. A Defesa Civil do Estado enviou ao município 100 cestas básicas, 100 kits de limpeza, além de colchões, que chegarão nesta terça-feira. Uma equipe com 19 homens foi contratada pelo prefeito para realizar a limpeza emergencial da cidade. Além disso, a Secretaria Municipal de Obras atua com quatro equipes prestando auxílio nos bairros mais afetados. Os prejuízos em vias públicas chegam a R$ 30 milhões. “Não contabilizamos os números em residências, mas os valores podem passar de R$ 100 milhões”, assinalou Johnny.

Já o município de Caçador, no Meio-Oeste catarinense, decretou situação de emergência ontem. De acordo com o secretário estadual da Defesa Civil em exercício, Rodrigo Moratelli, em Caçador, o volume de chuva chegou a 137 milímetros. No total, 223 casas foram afetadas, sendo uma interditada, atingindo diretamente 637 pessoas. Prédios públicos também foram danificados. Houve deslizamento e desmoronamento em pelo menos 42 pontos da cidade.

A chuva que afeta Santa Catarina desde sexta-feira deixa prejuízos. Algumas cidades tiveram volumes expressivos de precipitação. Um alerta direciona as atenções das autoridades para a barragem do rio Itajaí do Oeste, em Taió, uma vez que há elevado risco de enchente decorrente do volume de chuva. O nível do manancial tende a aumentar, numa variante de 9 a 14 centímetros por hora. No entanto, há uma redução no nível do rio, no Distrito de Passo Manso, em Taió, que varia de 6 a 13 centímetros por hora.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo





» Tags:

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.