Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 14/01/2014
  • 23:28
  • Atualização: 23:38

Brigada Militar atuará em rolezinhos se for acionada por shoppings da Capital

Coronel relata contato com gerentes, mas que policiais ficarão fora dos estabelecimentos

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Brigada Militar ainda não planeja intervir de alguma forma nos chamados "rolezinhos" que estão sendo programados em Porto Alegre. Responsável pelo Comando de Policiamento da Capital, o coronel João Diniz Godói relatou que a polícia não atua dentro de shoppings. Os centros comerciais Moinhos Shopping e Bourbon Wallig são endereços de dois eventos agendados através do Facebook. “O ideal é que reforcem a segurança interna, mas vamos atuar se formos chamados", salientou o coronel.

"Conversamos com gerentes dos estabelecimentos”, acrescentou Godói, sobre a preparação dos shoppings. Especialistas em Direito do Consumidor e Constitucional dizem que só pode ocorrer repressão caso seja iniciada uma confusão.

A prática começou no final do ano passado, em São Paulo. Os primeiros foram organizados por cantores de funk em resposta à aprovação pela Câmara Municipal de um projeto de lei que proibia bailes do estilo musical nas ruas da capital paulista. A proposta foi vetada pelo prefeito Fernando Haddad no início deste ano. Os rolezinhos continuaram, no entanto, a serem organizados.

No último domingo, a PM de São Paulo deteve três pessoas na tentativa de conter tumulto no Shopping Metrô Itaquera. De acordo com a Secretaria de Segurança do Estado, uma loja de jogos eletrônicos teve as portas arrombadas e parte da mercadoria roubada por pessoas portando pedaços de madeira. Dois jovens, de 15 e 19 anos, foram detidos com pedaços de pau. No entanto, nada foi encontrado com eles. Um adolescente de 16 anos foi apreendido, segundo a PM, com um celular roubado no bolso.