Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 15/01/2014
  • 11:56
  • Atualização: 12:02

Começa julgamento pela matança no shopping do Quênia

Em setembro, comando islamita atacou Westgate e matou 67 pessoas

Quatro homens são acusados de atentado | Foto: Kamanja Karanja / AFP / CP

Quatro homens são acusados de atentado | Foto: Kamanja Karanja / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O julgamento de quatro homens acusados de terem dado apoio ao comando que conduziu a matança no shopping Westgate em Nairóbi no final de setembro começou nesta quarta-feira.

Em 21 de setembro, um comando islamista atacou o Westgate disparando indiscriminadamente contra os comerciantes e clientes do centro comercial depois se entrincheirando em seu interior. Em quatro dias, o ataque deixou 67 mortos e uns 20 desaparecidos, segundo fontes oficiais.

Os quatro homens suspeitos, somalis ou de etnia somali, Adan Mohamed Abidkadir Adan, Mohamed Ahmed Abdi, Liban Abdulá Omar e Hussein Hasan Mustafá, não são acusados de ter participado no comando islamita que lançou o ataque, e sim de proporcionar apoio a eles. Eles se declararam inocentes.

O atentado foi reivindicado pelos islamitas somalis shebab, afiliados à Al-Qaeda. Eles disseram tratar-se de uma represália pela intervenção do exército queniano, desde o final de 2011, na força da União Africana que luta contra eles na Somália.

Fontes da segurança afirmam que todos os membros do comando morreram durante o ataque e em confrontos com a polícia. Mas a polícia de Nova Iorque que também participou na investigação, não descarta que alguns agressores tenham fugido e que não há provas formais de sua morte.

Uma parte do shopping desabou durante os confrontos, e os corpos encontrados entre os escombros não foram identificados. No entanto, com ajuda dos vídeos de vigilância, a ata de acusação cita o nome de dois atacantes: Mohamed Abdinur Said e Hasan Abdi Dhuhulow.

Bookmark and Share