Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
14º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

16/01/2014 10:40 - Atualizado em 16/01/2014 10:44

Vaticano nega ter dificultado as investigações sobre pedofilia

Para porta-voz do Papa Francisco, "direito canônico da Igreja católica é muito diferente das leis civis dos Estados"

O Vaticano negou nesta quinta-feira que tenha dificultado as investigações judiciais sobre os crimes de pedofilia cometidos por religiosos católicos em todo o mundo. Em uma entrevista que coincide com uma audiência, em Genebra, do Comitê da ONU para Direitos da Infância, o observador permanente da Santa Sé ante a ONU, monsenhor Silvano Tomasi, rebateu a acusação das associações de vítimas ue afirmam que a instituição dificultou o trabalho da justiça.

"Esta denúncia me parece um pouco privada de fundamento", afirmou Tomasi. "A Santa Sé apoia o direito e o dever de cada país de julgar os crimes contra os menores. A crítica de que está tentando interferir, obstruir, não se sustenta. Pelo contrário, queremos que haja transparência e que a Igreja siga seu curso", acrescentou. O padre Federico Lombardi, porta-voz do papa Francisco, tentou desvincular a competência da Santa Sé na aplicação da Convenção da ONU sobre os Direitos da Infância, em vigor desde 1990.

Segundo ele, "o direito canônico próprio da Igreja católica é muito diferente das leis civis dos Estados. A Santa Sé, portanto, e em virtude da Convenção, não é obrigada a responder às demandas de informação relativa a investigações realizadas com base no direito canônico".

Lombardi justificou, assim, a negativa do Vaticano em responder ao questionário que a ONU enviou em julho sobre dados das 4 mil investigações eclesiásticas que as dioceses enviaram durante anos à Congregação para a Doutrina da Fé. As associações de vítimas de pedofilia veem nesta negativa uma tentativa de encobrir os autores dos crimes, apesar de a Santa Sé insistir que sua intenção é proteger as testemunhas e as vítimas.

Nesta quinta, o Comitê para os Direitos da Infância da ONU pediu diligência à Igreja católica nos casos de pedofilia. "O exemplo que a Santa Sé precisa dar deve assentar um precedente. Tem de marcar um novo enfoque", afirmou Sara Oviedo, integrante da equipe de investigação deste comitê das Nações Unidas.

A investigadora fez seus comentários em uma audiência na qual, pela primeira vez, uma delegação do Vaticano deu explicações aos especialistas do Comitê para os Direitos da Infância sobre os abusos cometidos por religiosos católicos contra menores.

Bookmark and Share

Fonte: AFP





» Tags:Internacional

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.