Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 16/01/2014
  • 19:58
  • Atualização: 20:01

Ministério Público tenta resolver impasse entre OAS e funcionários paralisados

Categoria cruzou os braços na terça-feira para reivindicar melhorias no canteiro de obras do entorno da Arena

  • Comentários
  • Camila Kila/Rádio Guaíba

No terceiro dia da paralisação dos trabalhadores da Construtora OAS nas obras do entorno da Arena do Grêmio, o Ministério Público do Trabalho (MPT) se dispôs a intermediar uma reunião entre a categoria e a empresa. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de Porto Alegre (Sticc), Valter Souza., representa os operários na reunião. Ele garante que, enquanto a construtora não fizer uma proposta que atenda às reivindicações da categoria, a paralisação fica mantida.

Centenas de funcionários que trabalham  no bairro Humaitá, zona Norte de Porto Alegre, cruzaram os braços na terça-feira. Eles garantem que a empresa os orientou a não deixar o canteiro de obras no intervalo de almoço e oferece alimentação diferenciada aos de trabalhadores do setor administrativo, entre outros itens. A reivindicação é para dispensa remunerada e passagens pagas pela empresa para viajar às cidades de origem, já que a maioria dos trabalhadores é do Nordeste, além de ajuda de custo para moradia, participação nos lucros e resultados e vale-rancho.


Bookmark and Share