Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 17/01/2014
  • 22:25
  • Atualização: 22:26

Estado revê para junho entrega do primeiro presídio do Complexo de Canoas

Atraso de dois meses é atribuído a decisão judicial que paralisou obra por 45 dias

  • Comentários
  • Samantha Klein / Rádio Guaíba

Apesar de as obras de um presídio que vai abrigar 393 detentos estarem 60% prontas, em Canoas, o Estado já reconhece que a entrega, prevista de início para abril, vai atrasar. A previsão, agora, é a de que a unidade, erguida com blocos pré-moldados, só seja concluída em junho. Já a ocupação deve ocorrer somente dois meses depois.

O atraso é atribuído à paralisação das obras, por 45 dias, em 2013, em função de uma liminar judicial. É o que explica Daniela Reveilleau, do Departamento de Engenharia da Susepe. “Em função de a obra ter ficado esse tempo parada, foi necessário aplicar um aditivo para que ela seja concluída até junho. Depois disso, algumas adequações quanto ao mobiliário precisarão ser feitas”, ressaltou. A contratação da empresa Verdi Construções sem licitação foi questionada pelo Ministério Público de Contas, mas a Procuradoria-Geral do Estado reverteu a decisão.

Em visita às obras do presídio, o governador Tarso Genro pediu que os construtores tentem agilizar a obra para que o atraso não seja ainda maior. “Estamos fazendo esse apelo aos empresários para tentar compensar essa interrupção”, sustenta.

A cadeia é a primeira de um complexo de quatro casas prisionais e um centro de reintegração social a serem construídos no bairro Guajuviras. A meta é transferir parte dos apenados do Presídio Central para o local, que vai somar 2,4 mil vagas.

Bookmark and Share