Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
11º 19º


Faça sua Busca


Notícias > Economia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

20/01/2014 12:31 - Atualizado em 20/01/2014 12:38

Flutuação do dólar será muito menos dramática do que se pensou, diz Dilma

Presidente sinalizou que o câmbio deve ficar estável nos próximos dias

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda que o Brasil tem reservas suficientes para enfrentar as turbulências internacionais e sinalizou que o câmbio deve ficar estável nos próximos dias. “Continuamos numa situação confortável na área das reservas (internacionais). Temos tido problema quando os Estados Unidos saem do programa de expansão monetária. Houve flutuação para todo mundo, para nós também, mas já está se estabilizando e acho que será muito menos dramático do que se pensou no início”, ressaltou em entrevista nesta manhã às rádios América e Itatiaia, de Belo Horizonte (MG).

A presidente destacou ainda que, independentemente de ser ano eleitoral, continua preocupada em manter os fundamentos da economia sólidos e os investimentos em programas sociais. “Esse é o desafio do governo, não por conta da eleição, é em qualquer momento, em qualquer segundo, em qualquer minuto”, disse ao acrescentar que, em 2015, o governo deve se aproximar mais do centro da meta de inflação de 4,5%.

Dilma lembrou que a União cumpriu o superávit primário de R$ 75 bilhões e fez um apelo para que os governos estaduais e municipais participem desses esforço. “Queria alertar o fato de que fazer um esforço fiscal tem que ser parte da agenda de estados e municípios”, lembrou.

Violência

Durante a entrevista às rádios mineiras, a presidente falou da importância da parceria entre governos no combate à violência. “Nunca dissemos que a violência era problema dos Estados e que portanto nós lavávamos as mãos. Acreditamos muito numa relação cooperativa, numa ação que constitua uma parceria entre governo federal, estados e municípios”, disse depois de dar como exemplo a parceria feita com os estados durante a Copa das Confederações e mais recentemente a ajuda dada ao governo do Maranhão por causa dos problemas no Presídio de Pedrinhas.

A presidente ressaltou que o governo federal colocou à disposição dos estados cerca de R$ 1,1 bilhão para a construção de mais de 47,4 mil novas vagas em presídios em todo o país. Para receber os recursos que são do Orçamento Geral da União os estados devem apresentar projetos que atendam a padrões de infraestrutura e alojamento.


Bookmark and Share


Fonte: Agência Brasil






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.