Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 21/01/2014
  • 22:22

Operação Golfinho tem média de 26 salvamentos por dia

Duas mortes confirmadas até agora ocorreram fora do horário de expediente dos salva-vidas

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Em 32 dias, a Operação Golfinho contabilizou 829 resgates e duas mortes, de vítimas que entaram na água fora do horário de expediente dos salva-vidas, conforme levantamento realizado nesta terça-feira. A maioria dos salvamentos ocorreu no litoral Norte (703), seguido de águas internas (70) e do litoral Sul (56). A média é de 26 atendimentos por dia.

As praias com maior número de casos até agora foram Torres (117), Imbé Sul (90), Capão da Canoa (86), Tramandaí (74), e Capão Novo (53). As guaritas onde ocorreram mais afogamentos foram a 134, em Imbé Sul (51); a 09, em Torres (26); a 60, em Capão Novo (23); a 07, em Torres (17); e a 108, em Imbé Norte (15).

Os bombeiros pedem que a população evite entrar no mar e rios após ingerir bebida alcóolica. Também advertem os banhistas a que fiquem atentos para as bandeiras e orientações dos salva-vidas: a vermelha significa mar perigoso, a amarela risco no mar, a verde banho com atenção e a azul, criança encontrada.

Mortes

Conforme os salva-vidas, Gildomar Fernandes Cardoso, de 18 anos, sumiu ao se banhar na praia de Hermenegildo, em Santa Vitória do Palmar, no litoral Sul, no fim de semana passado. O outro caso havia ocorrido na virada do ano, em Tramandaí. Róger Martins, de 16 anos, desapareceu ao entrar no mar com amigos também fora do horário de atuação dos salva-vidas.

Bookmark and Share