Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

22/01/2014 14:22 - Atualizado em 22/01/2014 14:46

Simon: "o PMDB vai ter candidato. Se não tiver ninguém, eu vou de candidato"

Senador afirma que o partido tem obrigação de ser cabeça de chapa na disputa pelo governo do Estado

Senador afirma que o partido tem obrigação de ser cabeça de chapa na disputa pelo governo do Estado<br /><b>Crédito: </b> Geraldo Magela / Agência Senado / CP Memória
Senador afirma que o partido tem obrigação de ser cabeça de chapa na disputa pelo governo do Estado
Crédito: Geraldo Magela / Agência Senado / CP Memória
Senador afirma que o partido tem obrigação de ser cabeça de chapa na disputa pelo governo do Estado
Crédito: Geraldo Magela / Agência Senado / CP Memória

O senador Pedro Simon (PMDB) afirmou na manhã desta quarta-feira, durante evento de inauguração da estátua de Leonel Brizola, na Capital, que o seu partido tem obrigação de ser cabeça de chapa na disputa pelo governo do Estado. Segundo Simon, há diversos nomes no PMDB capazes de disputar o Piratini e também uma vaga no Senado Fedaral. Apesar de garantir que não tem intenção de disputar eleições, Simon afirmou que não deixará o partido sem candidato.

“Tem gente querendo achar que nós vamos apoiar a Ana Amélia, ou não sei quem. Não, o PMDB vai ter candidato! Se não tiver ninguém, eu vou de candidato. Se o PMDB se reunir e me impuser a candidatura, eu não vou fugir para dizerem que o Simon tem medo do Lasier ou coisa parecida”, afirmou o senador.

Ele rejeitou ainda qualquer possibilidade de disputar uma vaga de deputado federal. A possibilidade foi aventada por integrantes do partido como forma de ampliar a representatividade do PMDB na Câmara de Deputados.

“É ridículo imaginar que eu seria candidato a deputado federal com 85 anos. Sentar lá para brigar com 500 deputados e lugar para falar por cinco minutos. No Senado, o cara fala a hora que quer, como quiser. Eu não tenho condição física de correr para falar no microfone. Isso é gente que quer gozar com a minha cara. Quem faz isso, faz de má-fé”, bradou Simon.

Além do possível candidato do PMDB, o PT promete candidatura própria, ainda que Tarso Genro oficialmente não confirme seu nome. Já o PP tem como principal possibilidade a candidatura da senadora Ana Amélia Lemos, enquanto o PSD anunciou recentemente a proposta de lançar o nome de José Paulo Cairoli. Entre os maiores partidos no Estado, a única pré-candidatura garantida é a de Vieira da Cunha (PDT).

Simon foi governador do Estado entre 1987 e 1990. De 1991 até os dias atuais, o ex-governador ocupa uma cadeira no Senado Federal.

Bookmark and Share




Fonte: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.