Porto Alegre, sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

  • 24/01/2014
  • 20:45

Em rolezinho no BarraShopping, grupo dança e canta

Jovens vão a centro comercial alegando buscar mais espaços de lazer

  • Comentários
  • Luiz Sérgio Dibe / Correio do Povo

Com cara de novidade e feições atraentes à curiosidade, o rolezinho passou pelo Barra Shopping Sul, nesta sexta-feira, na Capital. Inspirou desconfiança e gerou expectativas entre centenas de pessoas que circulavam pelo local à tarde. Porém, foi diferente dos fenômenos registrados no Sudeste do país. Por aqui, o rolezinho arrebanha duas dúzias de jovens que desejam cantar e dançar, além de dizer que desejam mais e melhores espaços para viver e se divertir.

Entre os olhares atraídos pelo rolê, estava o do engenheiro civil Luiz Eduardo Mutzberg, 58 anos. “O tempo passa e muda a forma, mas a juventude sempre gostou de se expressar. Era assim quando eu era jovem e será no futuro. O que a gente espera é ver atitudes alegres, despojadas e ordeiras”, comentou.

O grupo caminhou pelos corredores, cantou funks que se ouve nas FMs populares, parou diante de vitrines, apreciou grifes com o deboche de quem protesta de maneira bem humorada. A administração do Barra não fez restrições. Admitiu o ingresso da meninada. Reforçou a segurança interna de forma notável, mas sem nenhuma hostilidade.

Para a rolezeira Thayná Desirée, 22 anos, a motivação é a busca por inclusão em novos processos sociais. “Educação, saúde, segurança são necessidades óbvias. Queremos acesso a lazer, cultura, alegria e prazer”, revela a estudante de Geografia.

A professora Andrea Brito Gomes, 38 anos, reconhece o valor das aspirações juvenis. “Faltam oportunidades para a juventude sentir-se parte da sociedade. A falta delas gera carência de perspectivas, dá margem para exclusão, violência, drogas e destruição do futuro”, avalia a mãe dois meninos, 4 e 17 anos.

Bookmark and Share