Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/01/2014 19:50 - Atualizado em 26/01/2014 19:51

Jovens realizam rolezinho no Parque Germânia, na Capital

Encontrou reuniu cerca de 100 crianças e adolescentes

Encontrou reuniu cerca de 100 crianças e adolescentes<br /><b>Crédito: </b> Ricardo Giusti / CP
Encontrou reuniu cerca de 100 crianças e adolescentes
Crédito: Ricardo Giusti / CP
Encontrou reuniu cerca de 100 crianças e adolescentes
Crédito: Ricardo Giusti / CP

Um novo rolezinho ocorreu ontem em Porto Alegre. Desta vez, o local do encontro dos jovens foi o Parque Germânia, no bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre. A nova moda que está sendo disseminada na capital gaúcha reuniu cerca de 100 crianças e adolescentes, vindos da Vila Jardim, Bom Jesus e região Metropolitana, como Gravataí e Alvorada. A partir das 17h30min, o ritmo funk tomou conta do lugar. MC’s profissionais, como Lucas Souza, o MC Choko, 17, embalaram o ritmo acompanhado por palmas.

O tema das músicas é baseado na ostentação, sexo, dinheiro, mulheres e álcool. Na roda de funk quem souber improvisar pode fazer parte. “Nós viemos aqui pela paz. Cantamos nosso funk e unimos o pessoal. O que cantar melhor, pode se tornar profissional”, explicou MC Choko, um dos organizadores do rolezinho.

Paul Adams, o MC Poul, 23, possui 15 letras próprias e canta há 6 meses. A estudante Yndiara Machado, 17, dança funk desde os 7. “Antes era roda de funk, agora é rolezinho. Mudaram o nome, mas o objetivo continua sendo o mesmo, curtir funk independente do lugar”, contou Yndiara. O encontro chamou a atenção também dos que passeavam pelo local.

O administrador de empresas, Rodrigo Brasil, 25, se uniu à turma de jovens. “É uma reunião saudável, sem agressão. Um grupo unido pela música”, afirmou. Ezequiel do Nascimento, 9, prestigiou ao lado irmã, Laura. O menino quer ser capoeirista, mas imita os funkeiros nas roupas e no estilo do corte de cabelo.

O evento foi combinado pelo Facebook e atingiu 3 mil pessoas. Jovens da periferia, a maioria menores de idade, na faixa dos 17 anos, uniram-se pelo ritmo em comum. “A nossa música é boa, aqui a gente é livre para cantar o que quiser”, afirmou Pablo Alves. o MC Pablo, 16.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.