Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 30/01/2014
  • 12:14
  • Atualização: 12:21

Porto Alegre tem apenas 14% da frota de ônibus em circulação

Reunião à tarde no Tribunal Regional do Trabalho pode resolver impasse

  • Comentários
  • Correio do Povo

Apenas 14% da frota de ônibus de Porto Alegre circulou na manhã desta quinta-feira, no quarto dia de greve dos rodoviários. Mesmo com a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que determinou que 70% dos veículos saíssem às ruas no horário de pico e 50% no normal, os trabalhadores decidiram esperar a reunião marcada para a tarde antes de tomarem nova decisão. Ao todo, 205 coletivos foram disponibilizados. A maioria das linhas que circularam (196) eram do consórcio Unibus, que atende a zona Leste da cidade.

• Fortunati reclama de falta de ajuda da BM para ônibus saírem das garagens

• Ônibus não saem por opção das empresas, diz comandante da BM

Está agendada para as 15h uma audiência na sede Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região com a participação da prefeitura, do Sindicato dos Rodoviários e da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) que visa resolver o impasse.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, ressaltou que espera por um acerto entre empregados e empregadores já nesta quinta. “Acionamos a Justiça para que os ônibus circulassem de forma minimamente satisfatória e a população não fosse prejudicada. Estamos na expectativa de uma definição sobre o dissídio coletivo dos rodoviários”, disse.

Tarifas devem sofrer aumento

Segundo informações do Tribunal de Contas do Estado (TCE), no dia 12 de fevereiro será votado o resultado da Inspeção Especial sobre o Transporte Público de Porto Alegre. O prefeito José Fortunati ressaltou que espera por essa definição para discutir o aumento na tarifa dos ônibus na Capital e cobrou um acerto entre empresas e rodoviários.

“Como o TCE marcou o julgamento dos itens pendentes para o cálculo da tarifa para o dia 12 de fevereiro, não existe mais desculpas para que os empresários e rodoviários negociem o reajuste salarial colocando um fim à greve do transporte coletivo. A partir do dia 13 poderemos começar a discussão sobre a planilha da tarifa que deverá ser profundamente revista neste ano como prevê a lei”, escreveu em seu Twitter no começo da manhã.

Bookmark and Share