Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 05/02/2014
  • 08:43
  • Atualização: 08:58

Calor provoca diminuição de lagos de usinas no Norte gaúcho

Itá e Machadinho tiveram de elevar geração em janeiro devido à demanda

Reservatório de Machadinho estava 9,66% abaixo do nível máximo ontem | Foto: Carla Dildey /Divulgação/ CP

Reservatório de Machadinho estava 9,66% abaixo do nível máximo ontem | Foto: Carla Dildey /Divulgação/ CP

  • Comentários
  • José Ody / Correio do Povo

A atual onda de calor, uma das maiores das últimas décadas, começa a interferir no nível dos reservatórios de Itá e Machadinho, as duas maiores hidrelétricas do Norte gaúcho, na divisa com Santa Catarina. Ontem, às 15h, o nível do lago de Itá estava 2,72 metros abaixo do máximo operacional. O reservatório, que se encontrava com 53,05% da capacidade, recebia ainda bom volume de água, 1.220 metros cúbicos por segundo e utilizava 1.590 m cúbicos por segundo. Já o lago de Machadinho, também às 15h de ontem, estava 9,66 metros abaixo do nível máximo. O lago tinha apenas 32,75% de água, recebendo 968 metros cúbicos por segundo e utilizando 1.349 m cúbicos.

O gerente-geral do Complexo de Usinas Hidrelétricas da Tractebel, na bacia do rio Uruguai, Diego Collet, disse que, considerando o mês passado, foram gerados em Itá 66,85% da capacidade máxima possível. No caso de Machadinho, conforme ele, a geração no mês passado foi de 58,68% da capacidade máxima. Segundo o gerente, essa geração elevada atendeu à solicitação do Operador Nacional do Sistema Elétrico em virtude da carga de energia demandada pelo Sistema Interligado Nacional.

A Usina Itá fica entre Aratiba (RS) e Itá (SC) e pode gerar até 1.450 megawatts (MW). É capaz de abastecer, no pico, 50% da demanda catarinense e 30% da gaúcha. Machadinho, situada entre Maximiliano de Almeida (RS) e Piratuba (SC), tem capacidade máxima instalada de 1.140 MW. Pode responder por 37% da demanda de Santa Catarina e 22% no caso do Rio Grande do Sul.


Bookmark and Share