Correio do Povo

Porto Alegre, 17 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
29ºC
Amanhã
19º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

06/02/2014 20:05 - Atualizado em 06/02/2014 20:16

Relatório sobre blecaute no Brasil deve sair em até 15 dias

Diretor do Operador Nacional do Sistema explica que equipes analisam o que causou curto circuitos

O relatório sobre o blecaute de terça-feira, que atingiu as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte, deve sair dentro de 10 a 15 dias, informou o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, nesta quinta-feira. Segundo ele, o corte da energia foi causado por um curto nos circuitos 2 e 3 da rede nacional, mas ainda não se sabe o que provocou o curto.

Chipp disse que, somente com a análise técnica, que começou nesta quinta-feira, é que poderão ser identificados os principais motivos. Os técnicos precisam de tempo para fazer a avaliação, afirmou. "Quando cai um avião, esperam-se dois anos para descobrir o que houve com a caixa-preta. Isso é mais ou menos parecido, só que a gente nunca demora mais de um mês."

De acordo com o diretor do ONS, normalmente, os técnicos não apontam a causa sem uma avaliação mais detalhada. “Eles fazem a leitura de grandezas elétricas, de tensão de correntes. Observam equipamentos, com fotos, às vezes, se houve indício de dano em algum isolador, se algo foi chamuscado, se a origem foi essa, se foi um raio que causou o curto. Tudo isso tem que ser visto para dar a informação precisa", explicou Chipp.

O diretor acrescentou que serão verificadas também todas as medidas e providências que têm de ser tomadas para evitar a repetição do problema. De acordo com Hermes Chipp, pela situação energética, as interligações mais desfavoráveis são no Sul, no Sudeste e no Nordeste. Quanto à Região Norte, ele ressaltou que, nesta época do ano, aproveita-se a produção de Tucuruí, no Pará, para suprir de energia outras regiões e opera-se perto do limite da interligação. "Esses limites são critérios definidos, que somos obrigados a respeitar", citou.

Chipp participa, nesta tarde, de reunião com representantes do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e das empresas FIP Brasil, Cemig, Eletronorte, proprietárias das linhas de transmissão onde ocorreram as falhas desta semana.


Bookmark and Share

Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.