Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
13ºC
Amanhã
15º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Meio Ambiente

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/02/2014 22:52 - Atualizado em 10/02/2014 23:18

BM apreende 30 mil ovos de tartarugas em criadouros ilegais no RS

Operação Quelônio tem mais de 50 integrantes que vão reintegrar animais à natureza

Operação Quelônio tem mais de 50 policiais que vão reintegrar animais à natureza<br /><b>Crédito: </b> CABM/Divulgação CP
Operação Quelônio tem mais de 50 policiais que vão reintegrar animais à natureza
Crédito: CABM/Divulgação CP
Operação Quelônio tem mais de 50 policiais que vão reintegrar animais à natureza
Crédito: CABM/Divulgação CP

O Comando Ambiental da Brigada Militar apreendeu mais de 30 mil ovos de tartarugas em ação no Litoral Sul do RS.  A Operação Quelônio tem como finalidade fiscalizar a desova da tartaruga tigre d’água (Trachemys dorbigni) e coibir o comércio ilegal e o tráfico de animais.

Os policiais esvaziaram os “canteiros de ovos”, para reinserí-los no ambiente natural. Uma equipe da PATRAM com mais de 50 integrantes realiza patrulhas para identificar outros locais onde possam existir outras ninhadas construídas pelo homem.

Após a localização dos canteiros de ovos, é realizada a identificação dos espécimes que estão com cerca de 3 cm, feita a coleta e o transporte dos animais para o Núcleo de Reabilitação da Fauna Silvestre da UFPEL, um local adequado com melhores condições para proporcionar a soltura dos animais. A tartaruga tigre d’água é um réptil da família dos quelônios. O período de acasalamento na natureza acontece entre julho e abril.

A desova estende-se de agosto a janeiro e a fêmea constrói buracos na terra ou areia para postar seus ovos. A fêmea desova até 18 ovos por postura. Estes eclodem após 60 a 120 dias. O habitat destes quelônios estende-se pelos pântanos, banhados, lagos, riachos e rios do Rio Grande do Sul, predominando na região da lagoa dos patos e o banhado do Taim.

O Coronel Ângelo Silva, Comandante do Comando Ambiental da Brigada Militar que comandou a Operação Quelônios, afirma que os animais seriam comercializados ilegalmente por um valor de R$ 5 a R$ 10, mas que poderia chegar até R$ 160 reais em outros mercados. 



Os policiais esvaziaram os “canteiros de ovos”, para reinserí-los no ambiente natural Foto: CABM / Divulgação / CP


Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.