Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
23ºC
Amanhã
18º 27º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/02/2014 22:08 - Atualizado em 12/02/2014 22:09

Câmara cassa o mandato de Natan Donadon

Com voto aberto, 467 deputados votaram a favor da cassação

467 deputados votaram a favor da cassação<br /><b>Crédito: </b> Zeca Ribeiro / Agência Câmara / CP Memória
467 deputados votaram a favor da cassação
Crédito: Zeca Ribeiro / Agência Câmara / CP Memória
467 deputados votaram a favor da cassação
Crédito: Zeca Ribeiro / Agência Câmara / CP Memória

O deputado Natan Donandon (sem partido-RO),  foi cassado na noite desta quarta-feira, por 467 votos a favor e uma abstenção. Poucos minutos antes, ele afirmou que o voto aberto constrange.

Donadon falou com jornalistas logo após entrar na sessão. Ele disse que se sente injustiçado e que a convicção da inocência é que o fez ir até o Congresso. "Numa situação que sei que o voto é aberto, a convicção da inocência que me fez vir aqui", reiterou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que o deputado Natan Donadon não vai usar a tribuna para se defender no processo de cassação de seu mandato. Sua defesa no Plenário será feita por seu advogado, Michel Saliba.

Desde cedo, havia a expectativa de que Donadon estivesse presente na sessão, uma vez que o Tribunal de Justiça do Distrito Federal autorizou a sua presença. Donadon chegou vestido de branco, roupa usada pelos detentos da Papuda, e se dirigiu para um local reservado onde trocou de roupa.

Donadon cumpre pena no Presídio da Papuda, no Distrito Federal, desde junho de 2013, por ter sido condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 13 anos de prisão, por peculato e formação de quadrilha, além do desvio de cerca de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia.

O deputado disse ainda que não descarta a possibilidade de tentar novamente um cargo eletivo, após o cumprimento da pena. "Se ficar tudo certo com a Justiça Eleitoral, por que não?", disse.

Bookmark and Share

Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.