Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
13º 28º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > País

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

13/02/2014 17:27

Psol e PSTU emitem nota negando relação com jovens presos pela morte de cinegrafista

Advogado de Caio Souza e Fábio Raposo acusou partidos políticos de pagar jovens para praticarem vandalismo

Em nota, o diretório municipal do Psol do Rio de Janeiro disse, nesta quinta-feira, que a morte do cinegrafista Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, foi um "trágico incidente", prestou solidariedade à família do profissional e negou ter qualquer ligação com os jovens presos pela morte de Santiago, Caio Silva de Souza e Fábio Raposo.

O partido também negou a prática de aliciamento de manifestantes. Na quarta-feira, o advogado Jonas Tadeu Nunes, que defende os dois responsáveis pela explosão do rojão que atingiu o cinegrafista, acusou partidos políticos e outras organizações, sem citar nomes, de pagar jovens pobres para fazerem atos de vandalismo nos protestos.

O governador Sérgio Cabral (PMDB) disse que partidos políticos e organizações estão "embutidos" nas ações violentas. Na nota, o Psol diz que "desde o trágico incidente que culminou com a morte do cinegrafista Santiago, vários boatos - depois 'desmentidos' - tentam vincular o Psol e seus parlamentares ao ocorrido".

"O Partido Socialismo e Liberdade declara que, mais uma vez, são levianas as acusações de seu envolvimento nesse lamentável episódio.

Os responsáveis por tais acusações serão devidamente processados. O Psol não utiliza nem defende o uso de atos de violência como método e prática política nas manifestações, bem como nunca manteve qualquer contato com os acusados de participação nesta tragédia", diz anota.

"O Partido, consternado com a morte do cinegrafista, transmite irrestrita solidariedade à família, amigos, colegas de trabalho e profissão de Santiago Ilídio de Andrade, exigindo uma investigação séria que responsabilize todos os envolvidos", afirma o diretório.

"A denúncia sobre possíveis financiamentos de militantes não constitui prática do partido e exigimos que seja investigada", continua a nota do Psol-RJ. O partido diz que continua a apoiar mobilizações populares e que "motivos para protestar continuam existindo".
#ET

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) também divulgou na tarde desta quinta-feira um comunicado em que nega qualquer ligação com os manifestantes que adotam a tática black bloc e promovem vandalismo durante os protestos.

O partido também nega ter relação com os dois rapazes presos sob acusação de terem lançado o rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade.

"Nas manifestações do ano passado, o PSTU foi o único partido de esquerda a contestar e discordar publicamente dos métodos empregados por estes setores do movimento social. Exigimos que se apure a denúncia de financiamento desses jovens. Se eles receberam dinheiro para agirem como provocadores, exigimos que se diga quem os financiou. Não só quem financiou esses jovens, mas quem financia a defesa da dupla acusado-delator", afirma a nota.

"Somos radicalmente contrários à perseguição que os governos vêm promovendo contra os movimentos sociais. A violência instaurada naquele dia na Central do Brasil é de responsabilidade do governo e da Polícia Militar. Prestamos nossa solidariedade aos familiares de Santiago e continuaremos lutando para que novas tragédias como esta não aconteçam", conclui o texto.

Bookmark and Share


Fonte: AE






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.