Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 15/02/2014
  • 10:19
  • Atualização: 11:52

Mediador da ONU anuncia suspensão das negociações sobre a Síria

Data para terceira rodada de conversas não foi marcada

Mediador Lakhdar Brahimi pediu desculpas ao povo sírio pela ausência de progressos nas conversações | Foto: Philippe Desmazes / AFP / CP

Mediador Lakhdar Brahimi pediu desculpas ao povo sírio pela ausência de progressos nas conversações | Foto: Philippe Desmazes / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A segunda rodada de conversações entre o governo sírio e a oposição em Genebra foi suspensa neste sábado, sem que fossem registrados progressos ou fixada uma data para a terceira rodada. A informação é do o mediador da ONU, Lakhdar Brahimi. "Creio que é melhor que cada uma das partes se retire e reflita sobre sua responsabilidade e diga se quer que este processo continue ou não", declarou à imprensa.

O mediador pediu desculpas ao povo sírio pela ausência de progressos nas conversações. "Eu sinto muito", afirmou. Brahimi enfatizou que, pelo menos, as duas partes chegaram a um acordo sobre os temas que serão abordados em uma terceira rodada, desde que esta seja realizada.

Numa possível nova fase das negociações, serão discutidas a violência e o terrorismo, depois o governo interino e instituições nacionais e, por fim, a reconciliação nacional. No entanto, Brahimi lamentou que os representantes do regime de Bashar al Assad tenham se negado a aceitar sua proposta de falar da violência durante um dia, para depois falar da transição política. "Isso levou a oposição a suspeitar que o governo não quer falar de forma alguma de uma autoridade governamental transitória".

"Perda de tempo"

Para o porta-voz da delegação opositora, Luai Safi, uma nova terceira rodada de negociações sem tratar de transição política seria uma "perda de tempo". "O regime não é sério", disse Safi. "Não estamos aqui para negociar o comunicado de Genebra, mas simaplicá-lo", acrescentou, se referindo ao plano de solução política da crise síria aprovado pelas grandes potências.


Bookmark and Share