Correio do Povo

Porto Alegre, 28 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
11ºC
Amanhã
13º 25º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

18/02/2014 22:52

Pelo menos 16 já morreram em confrontos na Ucrânia

Violência no país não diminuiu nem mesmo após reunião entre presidente e líder opositor

Violência no país não diminuiu nem mesmo após reunião entre presidente e líder opositor<br /><b>Crédito: </b> Genya Savilov / AFP / CP
Violência no país não diminuiu nem mesmo após reunião entre presidente e líder opositor
Crédito: Genya Savilov / AFP / CP
Violência no país não diminuiu nem mesmo após reunião entre presidente e líder opositor
Crédito: Genya Savilov / AFP / CP

Pelo menos 16 pessoas já morreram em virtude dos violentos confrontos em Kiev, na Ucrânia. Mas o número de vítimas pode ser maior – a rede de TV norte-americana CNN informa que 21 pessoas já morreram em decorrência dos protestos, que ficaram mais violentos nesta terça-feira.

Nesta terça-feira, o presidente ucraniano, Viktor Yanukovych, reuniu-se com o líder oposicionaista Vitali Klitschko, mas o encontro não chegou a diminuir a violência que toma conta do país.

O presidente Viktor Yanukovytch teria se recusado a conter o assalto das forças da ordem contra a praça, denunciou o opositor Vitali Klitschko, depois de se reunir com o mandatário. “O presidente diz que a única solução é evacuar o Maidan (praça onde ocorrem os confrontos), e que todos (os manifestantes opositores) voltem para suas casas”, declarou o líder político e ex-boxeador por telefone à rede de TV Hromadske.

Iniciada em virtude da recusa de um acordo entre a Ucrânia e a União Europeia, em favorecimento a acertos com a Rússia, a crise passou a se espalhar pelo país, conforme a CNN. Escritórios do governo fora de Kiev foram invadidos ao longo desta terça-feira.

No Oeste do país, os manifestantes tomaram as armas em uma unidade militar em Lviv, que havia sido invadida na madrugada desta quarta (hora local). Depois de confrontos com coquetel molotov, que deixaram as instalações militares em chamas, cerca de cinco mil manifestantes assumiram o controle do depósito de armas.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.