Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
18º 27º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

20/02/2014 12:57 - Atualizado em 20/02/2014 13:01

Itamaraty orienta brasileiros na Venezuela a evitar manifestações

Comunidade brasileira no país é de mais de 17 mil pessoas

Itamaraty orienta brasileiros na Venezuela a evitar manifestações<br /><b>Crédito: </b> RAUL ARBOLEDA / AFP / CP
Itamaraty orienta brasileiros na Venezuela a evitar manifestações
Crédito: RAUL ARBOLEDA / AFP / CP
Itamaraty orienta brasileiros na Venezuela a evitar manifestações
Crédito: RAUL ARBOLEDA / AFP / CP

O Itamaraty orientou os brasileiros residentes ou de passagem pela Venezuela que evitem as aglomerações das grandes manifestações que têm ocorrido no país. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, não há qualquer registro de brasileiros envolvidos nos protestos, presos ou em situação semelhante.

Segundo o Itamaraty, brasileiros que tenham algum problema com autoridades e necessitem de assistência, a recomendação de praxe é de que entrem em contato com os consulados do Brasil. O país tem representações de assistência a brasileiros em várias cidades venezuelanas, entre as quais, a capital, Caracas; Ciudad Guayana; Puerto Ayacucho e Santa Elena de Uiarén.

Os endereços e telefones dos consulados podem ser consultados na página do Itamaraty na internet. De acordo com a última estimativa populacional das comunidades brasileiras no mundo, de 2012, a comunidade brasileira na Venezuela é de mais de 17 mil pessoas.

A Venezuela tem enfrentado nos últimos dias protestos populares - encabeçados por estudantes – que resultaram em confrontos diretos entre manifestantes e forças de segurança do governo que deixaram mortos e centenas de pessoas feridas. A onda de violência no país tem provocado preocupação por parte da comunidade internacional e diversas organizações; entre as quais as regionais Mercosul, Unidade das Nações Sul-Americanas e a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos que se manifestaram sobre o assunto.

O Brasil informou, nessa terça-feira que acompanha com atenção os acontecimentos. Hoje, o presidente Barack Obama condenou a violência no país e pediu que manifestantes presos sejam libertados.


Bookmark and Share



Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.