Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
19º 28º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

20/02/2014 18:24 - Atualizado em 20/02/2014 18:31

TCU revela defeitos em obras de UPAs de Porto Alegre e Novo Hamburgo

Inconformidades comprometem atendimento e impedem acesso de pessoas com deficiência

Relatórios de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) nas obras das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h) de Porto Alegre e de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, apontaram problemas nas edificações que, segundo a Corte, comprometem o atendimento ao público. O trabalho é parte de um conjunto de 26 fiscalizações que o tribunal realizou em todo o país, ao longo de 2013.

Embora as duas UPAs tenham pouco tempo de funcionamento, o trabalho do TCU identificou que as unidades já apresentaram sinais de má conservação. As obras da de Porto Alegre, inauguradas em 2012 e que utilizaram R$ 4 ,2 milhões em verba federal, apresentaram projetos deficientes, o que pode ter contribuído para falhas no processo construtivo e gastos não previstos para a edificação. Além disso, também foram encontrados buracos no chão da área externa, que comprometem a circulação de veículos, como ambulâncias, por exemplo.

Ainda sobre a UPA 24h de Porto Alegre, o ministro Benjamin Zymler, relator do processo, destacou o descascamento da pintura, cantos de paredes danificados e rachaduras no piso interno, entre outros itens. Ele também salientou que a licitação do empreendimento foi realizada sem um projeto executivo especificando o material a ser usado.

Na UPA 24h de Novo Hamburgo foram encontrados problemas semelhantes, como fissuras nas fachadas e manchas na pintura das paredes externas. A fiscalização identificou precariedade na ventilação e iluminação do local.

A auditoria constatou, também, que as duas unidades descumprem os requisitos legais e técnicos de acessibilidade a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. O TCU vai agora comunicar ao Ministério da Saúde e às prefeituras municipais os problemas identificados para que adotem as medidas necessárias para adequar as edificações.

Bookmark and Share


Fonte: Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.