Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 22/02/2014
  • 09:25
  • Atualização: 09:30

Parlamento ucraniano liberta líder da oposição

Enquanto Yulia Timoshenko ganha liberdade, presidente do país deixa Kiev

Yulia Timoshenko ganha liberdade | Foto: Sergei Supinski / AFP / CP

Yulia Timoshenko ganha liberdade | Foto: Sergei Supinski / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Parlamento ucraniano adotou neste sábado uma resolução para a libertação "imediata" da líder opositora Yulia Timoshenko. A medida te como base uma decisão da Corte Europeia de Direitos Humanos", explicou o deputado Viktor Shvets, jurista do partido Batkivshtchina, o mesmo da líder da Revolução Laranja pró-Ocidente de 2004.

Hoje, o presidente Viktor Yanukovytch deixou Kiev, segundo o oposicionista Vitali Klitschko declarou aos deputados no Parlamento, antes de pedir a "adoção de uma resolução que exija que Yanukovytch apresente a renúncia". De acordo com a colaboradora de Yanukovytch, Ganna German, o presidente está em Jarkiv. "Ele cumpre com suas funções constitucionais. Vai falar hoje pela televisão em Jarkiv", disse.

Mais cedo, jornalistas do Kanal 5 informaram que entraram sem dificuldades na residência de Yanukovytch, habitualmente muito vigiada, na periferia de Kiev. Manifestantes estavam a apenas 50 metros da entrada da presidência no centro da capital, outro local habitualmente submetido a uma rígida vigilância. Além disso, muitos partidários do presidente renunciaram, um dia depois da assinatura de um acordo entre o governo e a oposição para tentar acabar com a crise no país, que deixou dezenas de mortos nos últimos dias.

O acordo prevê importantes concessões de Yanukovytch, sob crescente pressão da comunidade internacionao: eleições presidenciais antecipadas, a formação de um governo de unidade nacional e o retorno à Constituição de 2004, que dá mais poderes ao Parlamento e ao governo.

O braço direito da opositora ucraniana Yulia Timoshenko, Olexander Turchinov, foi eleito neste sábado presidente do Parlamento ucraniano, em substituição a uma pessoa ligada ao chefe de Estado Viktor Yanukovytch. Turchinov recebeu 288 votos de um total de 450. O ex-presidente do Parlamento, Volodymyr Rybak, renunciou depois que vários deputados do Partido das Regiões, a formação de Yanukovytch, deixaram o partido. "As autoridades da Ucrânia retomam o trabalho para estabilizar a situação", declarou.

Bookmark and Share