Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
15º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

24/02/2014 22:08 - Atualizado em 24/02/2014 22:45

Governo sai como grande perdedor das eleições locais no Equador

Oposição de centro-direita conquistou prefeituras em cidades importantes do país

Governo sai como grande perdedor das eleições locais no Equador<br /><b>Crédito: </b> AFP / CP
Governo sai como grande perdedor das eleições locais no Equador
Crédito: AFP / CP
Governo sai como grande perdedor das eleições locais no Equador
Crédito: AFP / CP

O presidente do Equador, Rafael Correa, sofreu pela primeira vez uma derrota eleitoral, depois de eleições locais em que a oposição ganhou nas principais cidades, arranhando sua imagem de político imbatível, segundo analistas. Correa, eleito ano passado para um novo mandato de quatro anos, foi o grande perdedor da votação, por ter transformado a eleição em um referendo de apoio ao seu governo.

"Isso não vai afetar significantemente seu governo, mas vai ter consequências. Agora que ele não tem mais uma imagem de invencível", afirmou o cientista político Simón Pachano, da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais. O presidente, que governa com alto índice de aprovação e maioria parlamentar, falhou na tentativa de transmitir sua popularidade aos candidatos governistas.

Apoiado em sua liderança e nos sete triunfos eleitorais conquistados desde que chegou ao poder, em 2007, Correa tentou passar a ideia de que uma derrota do governo comprometeria o futuro da "Revolução Cidadã", projeto socialista comandado por ele, em parceria com Venezuela, Bolívia e Argentina. Tanto o kirchnerismo na Argentina como o chavismo na Venezuela governam com a oposição administrando as capitais.

Os resultados oficiais e as pesquisas de boca-de-urna indicavam uma derrota da Aliança País, partido fundado pelo presidente, nas principais cidades do país, incluindo a capital Quito, onde o prefeito Augusto Barrera – ligado a Correa – tentava a reeleição. A oposição de centro-direita conseguiu se manter no poder de Guayaquil e conquistar as prefeituras de Cuenca e Portoviejo, terceira e quarta cidades mais importantes do Equador, e de Manta, principal porto pesqueiro do país.

O partido ainda foi derrotado em governos estaduais importantes da Amazônia e do Sul do país, onde existe uma forte resistência a seus planos petroleiros e mineiros.

Bookmark and Share

Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.