Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
13º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/02/2014 10:57 - Atualizado em 26/02/2014 11:37

Presidente da Rússia ordena inspeção de tropas para combate

Governo quer verificar capacidade das forças armadas em situações de crise

Presidente russo Vladimir Putin ordenou nesta quarta-feira a inspeção de tropas<br /><b>Crédito: </b> Mikhail Metzel / RIA-Novosti / AFP /CP
Presidente russo Vladimir Putin ordenou nesta quarta-feira a inspeção de tropas
Crédito: Mikhail Metzel / RIA-Novosti / AFP /CP
Presidente russo Vladimir Putin ordenou nesta quarta-feira a inspeção de tropas
Crédito: Mikhail Metzel / RIA-Novosti / AFP /CP

O presidente russo Vladimir Putin ordenou nesta quarta-feira a inspeção de tropas nos distritos militares do oeste e do centro, anunciou o ministro da Defesa Sergei Shoigu."O comandante-em-chefe ordenou a inspeção da capacidades das forças armadas para lidar com situações de crise que representem uma ameaça para a segurança militar do país", afirmou.

Fora colocadas sob alerta as tropas do distrito militar do oeste – um vasto território que faz fronteira com a Ucrânia, Belarus, Estados Bálticos, Finlândia e Ártico – assim como a segunda tropa do distrito militar do centro, o comando de defesa espacial e as tropas aeroportuárias. A operação deve durar até 3 de março,.

O anúncio ocorre em meio à crise na Ucrânia, que preocupa as autoridades russas. Contudo, Putin já ordenou em diversas ocasiões inspeções surpresas das tropas russas desde seu retorno ao Kremlin em 2012. A última, visando as tropas do Extremo-Oriente, aconteceu em julho do ano passado.

Na terça-feira, o presidente dirigiu uma reunião do Conselho de Segurança russo sobre a situação na Ucrânia. Putin ainda não se expressou publicamente sobre a destituição na Ucrânia do presidente Viktor Yanukovytch e a chegada de novas autoridades em Kiev. O primeiro-ministro Dmitri Medvedev considerou na segunda-feira ser "uma aberração considerar como legítimo o que foi resultado de uma revolta". "Será difícil trabalhar com um tal governo", declarou.

Bookmark and Share


Fonte: AFP







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.