Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 27/02/2014
  • 15:57
  • Atualização: 16:00

Agência britânica interceptou milhões de imagens de webcam do Yahoo!

Foram recolhidas imagens de conversas de mais de 1,8 milhão de usuários

  • Comentários
  • AFP

A agência de inteligência britânica GCHQ, em parceria com a NSA americana, interceptou milhões de imagens de webcams de usuários do Yahoo!, segundo documentos revelados pelo ex-consultor Edward Snowden. Os textos provocaram a indignação da gigante da internet. 

Durante um período de seis meses em 2008, um programa da GCHQ recolheu imagens fixas de conversas de mais de 1,8 milhão de usuários de contas no Yahoo!, indicou nesta quinta-feira o jornal britânico The Guardian, citando documentos secretos vazados por Snowden.

Entre as imagens está "uma quantidade substancial de conversas explicitamente sexuais", acrescentou o jornal em sua edição online, afirmando que a GCHQ tentou mantê-las fora do alcance de suas equipes. O programa, batizado de Optic Nerve, foi criado em 2008 e ainda estava operacional em 2012, segundo um documento interno da GCHQ.

Ele coletava "em massa" imagens, independentemente do perfil do usuário, e salvava uma imagem a cada cinco minutos. Ele foi projetado para testar o reconhecimento automático facial para monitorar alvos atuais da GCHQ, mas também para adquirir novos. A utilização desses dados foi feita através de uma ferramenta informática da NSA, de acordo com o The Guardian. 

O Yahoo! manifestou sua indignação, considerando que, se essas informações forem verdadeiras, elas representariam "um nível sem precedentes de violação à privacidade dos usuários, o que é totalmente inaceitável".
"Nós não estávamos cientes e não toleramos" essa prática, se confirmada, acrescentou uma porta-voz do Yahoo!.

"Apelamos aos governos de todo o mundo para que reformem suas legislações para que estejam de acordo com os princípios que discutimos em dezembro", indicou, em referência ao comunicado lançado por oito gigantes da internet sobre a perda de confiança causada pela prática da espionagem em massa na internet pelos governos. "Estamos determinados a preservar a segurança (de nossos usuários) e a manter nossos esforços para aumentar a segurança de todos os nossos serviços", assegurou a porta-voz da companhia. 

O americano Edward Snowden, que fez revelações sobre a NSA, recebeu asilo político na Rússia, depois de ter passado mais de um mês na zona de trânsito do aeroporto de Moscou. O ex-técnico da NSA não apareceu em público desde que recebeu asilo.


Bookmark and Share