Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 27/02/2014
  • 20:57
  • Atualização: 21:09

Tarifa única do transporte metropolitano é adiada pela terceira vez

Prefeitura de Canoas informou que projeto levaria a aumento de R$ 0,85 nas passagens de integração

Prefeitura de Canoas informou que projeto levaria a aumento de R$ 0,85 nas passagens de integração | Foto: Laira Souza/Especial CP

Prefeitura de Canoas informou que projeto levaria a aumento de R$ 0,85 nas passagens de integração | Foto: Laira Souza/Especial CP

  • Comentários
  • Laira Souza/Correio do Povo

A implantação da Tarifa Única no transporte rodoviário do eixo Norte da Região Metropolitana foi adiada pela terceira vez. A implantação, que deveria ter sido iniciada nesta quinta-feira, desta vez foi interrompida devido ao pedido da Prefeitura de Canoas, que alega haver um erro na resolução do projeto. Desta forma, a Casa Civil do Governo do Estado do Rio Grande do Sul suspendeu por 15 dias a implantação.

Segundo o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, o projeto acaba refletindo em um aumento de R$ 0,85 no valor pago pelos passageiros que usam o sistema de integração no Município. Dos atuais R$ 3,50 para utilização de trem e ônibus, o passageiro passaria a pagar R$ 4,35. Segundo Jairo, o aumento também afetaria os usuários da integração Unisinos, que também passarão a ter acréscimo de tarifa caso o projeto entre em vigor como está.

O Superintende da Metroplan, Oscar Escher explica que existe um contrato entre as empresas de ônibus que fazem transporte integrado e a Trensurb e, que este acordo, proporciona descontos nas passagens integradas. Recentemente, as empresas, por motivos financeiros, teriam pedido a suspensão destes descontos, para passarem a cobrar a tarifa integral. Segundo Escher, estes acordos não se relacionam com as tarifas propostas
pela Metroplan para os trechos intermunicipais. Nesta sexta acontece uma nova reunião entre Estado, Metroplan e prefeitura, para novos esclarecimentos e definições sobre a implantação da tarifa.

O valor único no eixo norte, que entraria em vigor em 13 de janeiro, foi transferido para 12 de fevereiro, a pedido da Agergs, para que a Agência pudesse avaliá-lo. Depois, a própria Metroplan propôs o adiamento, para 27 de fevereiro, para que as empresas de ônibus pudessem se preparar e as mudanças fossem amplamente divulgadas aos usuários.

Bookmark and Share