Correio do Povo

Porto Alegre, 17 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
27ºC
Amanhã
19º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

28/02/2014 13:52 - Atualizado em 28/02/2014 16:58

Governo anuncia aumento no salário de cubanos do Mais Médicos

Profissionais vão passar a receber US$ 1.245 a partir de março

Profissionais vão passar a receber US$ 1.245 a partir de março<br /><b>Crédito: </b> Antonio Cruz / Agência Brasil / CP
Profissionais vão passar a receber US$ 1.245 a partir de março
Crédito: Antonio Cruz / Agência Brasil / CP
Profissionais vão passar a receber US$ 1.245 a partir de março
Crédito: Antonio Cruz / Agência Brasil / CP

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou nesta sexta-feira um reajuste salarial de 25% para os profissionais cubanos que trabalham no Brasil por meio do Programa Mais Médicos. A partir de março, eles vão passar a receber US$ 1.245.

O salário dos cubanos, atualmente, consiste em US$ 400, pagos pelo governo brasileiro, e US$ 600, pagos pelo governo cubano e retidos em uma conta no país. O aumento anunciado pela pasta, portanto, é US$ 245, sendo que o valor total, a partir de agora, será pago no Brasil.

Segundo Chioro, a negociação com a Organização Panamericana de Saúde (Opas) e com o governo cubano para estabelecer o reajuste salarial já estava em andamento quando ele assumiu o comando da pasta, no início do mês de fevereiro. Houve, de acordo com o ministro, uma determinação da presidente Dilma Rousseff para que o valor pago aos profissionais cubanos fosse revisto.

Chioro fez questão de ressaltar que não houve aumento dos valores repassados pelo governo brasileiro pela cooperação internacional. “Não vamos gastar um centavo a mais. Vamos continuar pagando o mesmo valor”, disse. O que houve, segundo ele, foi uma alteração nos valores acordados no contrato com o governo cubano.

Chioro rebateu a ideia de que o anúncio do reajuste seria uma resposta à pressão de médicos cubanos como Ramona Rodríguez, que abandonou o programa. “Não há, da nossa parte, nenhuma questão que envolva diretamente pressão dos próprios médicos cubanos, muito menos daquela profissional. Não é o que nos mobiliza. O que nos mobiliza é a necessidade de aprimorar.” Atualmente, 7,4 mil médicos cubanos atuam no Brasil por meio do Mais Médicos.


Bookmark and Share


Fonte: Agência Brasil







O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.