Porto Alegre, sábado, 22 de Novembro de 2014

  • 01/03/2014
  • 10:02
  • Atualização: 10:04

Rússia poderá enviar soldados à Crimeia

Milhares de pessoas protestam contra novo governo da Ucrânia em Donetsk

Homens armados patrulham o parlamento da Crimeia | Foto: Genya Salivov / AFP / CP

Homens armados patrulham o parlamento da Crimeia | Foto: Genya Salivov / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A Rússia poderá enviar soldados à Crimeia para garantir a segurança da fronteira russa no mar Negro e dos cidadãos que vivem nesta península do sul da Ucrânia. A afirmação foi feita neste sábado pela presidente do Senado russo, Valentina Matvienko. "Para atender a um pedido do governo da Crimeia, é possível, inclusive, enviar um contingente limitado (de tropas)", declarou Matvienko. Segundo a senadora, a medida depende da aprovação do presidente Vladimir Putin.

Hoje, mais de 10 mil pessoas participaram de um protesto em Donetsk, reduto do presidente deposto Viktor Yanukovytch, no leste da Ucrânia, contra as novas autoridades de Kiev. Muitos manifestantes levavam bandeiras russas, e uma foi colocada na sede da administração regional da cidade durante o ato.

"Rússia! Rússia!", gritavam os manifestantes ao ouvirem alguns líderes do movimento que subiram num palaque improvisado. Eles declaravam seu apoio "à aspiração da Crimeia de fazer parte da Rússia". Nos últimos dias, alguns homens armados invadiram diversos aeroportos e prédios administrativos da península pró-russa do sul da Ucrânia. O novo governo de Kiev denuncia "uma invasão russa".

Panfletos chamando a uma "desobediência" ao poder de Kiev foram distribuídos durante a manifestação. Originário da região, o presidente Viktor Yanukovytch foi deposto há uma semana pelo parlamento, após três meses de intensos confrontos no centro de Kiev, deixando 83 mortos em três dias, quando a situação se tornou mais crítica.

No centro de Sebastopol, porto da Crimeia que abriga a frota russa do mar Negro, cerca de 3 mil pessoas participaram de uma manifestação. "Sebastopol, Rússia", gritavam os participantes do ato, que empunhavam bandeiras russas.  


Bookmark and Share


TAGS » Rússia, Ucrânia