Porto Alegre, sábado, 1 de Novembro de 2014

  • 06/03/2014
  • 08:33
  • Atualização: 08:38

Preços dos alimentos no mundo registram maior alta em 18 meses

Apenas a carne teve queda, segundo índice FAO

  • Comentários
  • AFP

Os preços dos alimentos no mundo em fevereiro registraram a maior alta mensal (+2,6%) desde meados de 2012 em consequência das condições climáticas e da demanda crescente demanda, segundo a FAO.

Apesar da alta (a 209,1 pontos, ou seja, +5,2 pontos em um mês), os preços permanecem a um nível inferior ao do ano passado na mesma época, destaca em um comunicado a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

O índice da FAO mede a variação mensal das cotações internacionais de uma cesta de bens alimentícios Para a FAO, a alta não está vinculada apenas à situação dos cereais, do milho e do trigo, que subiram em parte pela crise na Ucrânia.

O aumento dos preços afeta todos os grupos de produtos, exceto a carne, que registrou leve queda. Os maiores aumentos desde janeiro foram constatados no açúcar (+ 6,2%) e óleos (+ 4,9%), seguidos pelos cereais (+ 3,6%) e laticínios (+ 2,9%).

A FAO cita vários fatores para explicar o fenômeno e o relativiza. O preço dos cereais também aumentou por preocupações sobre as colheitas de trigo nos Estados Unidos após o inverno rigoroso no país, assim como pela forte demanda de cereais secundários tanto para a alimentação animal como para os agrocombustíveis.

Sobre o açúcar, a culpa é atribuída aos "danos causados às colheitas pelo tempo seco no Brasil e às recentes previsões de uma potencial queda da produção na Índia". Mas, no conjunto, os preços permanecem inferiores em 18,8% na comparação com fevereiro de 2013.

Bookmark and Share


TAGS » Economia, FAO