Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 06/03/2014
  • 13:20
  • Atualização: 13:34

Servidores do IGP param por 24 horas no Estado

Sindicato afirmou que protesto é contra o "descaso" do governo às reivindicações da categoria

Servidores do IGP param por 24 horas no Estado | Foto: Samuel Maciel

Servidores do IGP param por 24 horas no Estado | Foto: Samuel Maciel

  • Comentários
  • Correio do Povo

Cerca de 900 servidores do Instituto Geral de Perícias (IGP) da Secretaria de Segurança Pública do Estado iniciaram na manhã desta quinta-feira uma paralisação de 24 horas em protesto contra o que consideram um descaso do governo às suas reivindicações. A mobilização, que envolve papiloscopistas, peritos, médicos legistas, fotógrafos criminalísticos e auxiliares de perícia, deve encerrar no início da manhã desta sexta.

O movimento manteve apenas o atendimento dos casos de óbitos e crimes contra a vida, sendo afetados por exemplo os serviços de carteira de identidade, perícias em locais de furto, roubo e sinistro, identificação de presos, entre outros. Em frente ao Departamento de Identificação, na avenida João Pessoa, em Porto Alegre, foi montado inclusive um piquete.

A presidente do Sindiperícias-RS, Claudia Bacelar Rita, destacou que a categoria foi a única ainda não atendida pelo governo estadual. Ela citou, como exemplo, o projeto de reestruturação de cargos e salários que até o momento não saiu do papel. “Há um ano estamos pleiteando o plano”, calculou.

Para a presidente do Sindiperícias-RS, o trabalho da categoria é tão importante como as demais da área da segurança pública, sendo todas elos de uma mesma corrente. A expectativa agora é com uma reunião marcada com o governo para a próxima terça-feira, dia 11.

Claudia não descartou novas paralisações. “Vai depender desta reunião”, avaliou, advertindo que o prazo para envio do projeto de reestruturação de cargos e salários à Assembleia Legislativa está se esgotando.


Bookmark and Share