Porto Alegre, domingo, 23 de Novembro de 2014

  • 10/03/2014
  • 22:58

Cpers discute nomeação de professores com governo

Secretaria projeta nomear pelo menos 500 profissionais a cada mês

Cpers discute nomeação de professores com governo | Foto: André Ávila / Divulgação / CP

Cpers discute nomeação de professores com governo | Foto: André Ávila / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Jézica Bruno / Correio do Povo

A diretoria do Cpers/Sindicato discutiu diversos pontos que envolvem o sindicato, em audiência com o governo do Estado nesta segunda-feira, na sede da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs). Um dos principais foi a nomeação dos professores aprovados no último concurso do magistério. Também esteve em pauta o abono de faltas, projeto de auxílio-alimentação, inclusão de funcionários no plano de carreira e implementação do 1/3 de hora-atividade.

A presidente do Cpers, Rejane Oliveira, explicou o motivo do encontro. “Estamos tentando garantir a nomeação dos nossos profissionais e assegurar a qualidade do ensino”, explicou. A nomeação dos 13 mil profissionais aprovados no último concurso esteve focado também em debate, às 14h, na sede do sindicato. Apenas 5% dos profissionais aprovados foram nomeados, o que causou insatisfação por parte dos professores. O edital do concurso foi aberto em fevereiro do ano passado, a prova foi efetuada em maio e em outubro foram homologados os aprovados.

Segundo a secretária adjunta da Educação, Maria Eulália Nascimento, o direito dos aprovados está garantido, porém a nomeação tem que ser feita a partir de um planejamento. “Só iremos fazer as próximas nomeações após o planejamento e a criação de uma lista”, afirmou Maria. Segundo ela já está prevista a nomeação de mais 260 profissionais.

Maria assegurou ainda que a cada mês, 500 a 600 profissionais serão nomeados, para preencher as vagas. O sindicato entregou outra solicitação para uma nova audiência com o governo, ainda sem data prevista. Na próxima sexta-feira os professores se reúnem em assembleia geral, a partir das 13h30min, no Gigantinho, para construção e debate da nova greve.

Bookmark and Share