Correio do Povo

Porto Alegre, 28 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
9ºC
Amanhã
23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/03/2014 08:32 - Atualizado em 11/03/2014 08:51

Bombeiros salvam cadela enterrada viva em Vera Cruz

Animal passou fome e sede por pelo menos três dias

Cadela foi encontrada apenas com cabeça para fora da terra<br /><b>Crédito: </b> Corpo de Bombeiros / Divulgação / CP
Cadela foi encontrada apenas com cabeça para fora da terra
Crédito: Corpo de Bombeiros / Divulgação / CP
Cadela foi encontrada apenas com cabeça para fora da terra
Crédito: Corpo de Bombeiros / Divulgação / CP

Um caso de maus-tratos a animais indignou moradores do Vale do Rio Pardo. Uma cadela foi localizada enterrada em um buraco, apenas com a cabeça para fora, por um casal que caminhava pelo Loteamento Belo Horizonte, área central de Vera Cruz, no sábado. Ao ser encontrada, a cadela só conseguia mover a cabeça, sem forças para deixar a cova. Debilitada após passar fome e sede por dois ou três dias, o animal foi internado em uma clínica veterinária e continua em estado crítico.

A veterinária Juliana Saueressig contou que a cadela tem ferimentos pelo corpo e perdeu a visão do olho direito. A fêmea recebe soro com medicamentos e ontem já conseguia se alimentar sozinha. “A cadela está muito magrinha. Com certeza estava mais que três dias sem comer e não é porque não queria, mas porque deixaram de oferecer alimento. Como está bastante debilitada, ainda não consegue caminhar.”

Vizinho do loteamento, ainda em fase de terraplenagem, o casal saiu de casa por volta das 18h de sábado. Lotário Keller, 68 anos, disse que, ao caminhar até o terreno atrás de uma caixa d'água, se surpreendeu ao avistar o animal. Ele e a mulher chamaram o Corpo de Bombeiros Misto e a Brigada Militar. Em poucos minutos, a guarnição de resgate chegou e libertou o animal, removido em uma maca.

Somente após ao menos duas semanas de tratamento será possível descobrir se o animal conseguirá se recuperar. O proprietário da clínica, Diego Voese, avaliou que a cadela tenha entre sete e oito anos. “Esperamos que ela ganhe peso e reaja à medicação. Mas ainda não sabemos o que vai acontecer”, disse. A polícia busca informações sobre pessoas que tenham conhecimento sobre o proprietário do animal ou os autores dos maus-tratos.


Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.