Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 12/03/2014
  • 10:50
  • Atualização: 13:02

PIB gaúcho cresce 5,8% e fica abaixo da previsão do governo

Governador Tarso Genro estimava que dados da FEE apontariam alta entre 6,6% e 6,8%

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

O Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho cresceu 5,8% em 2013, segundo divulgado nesta quarta-feira pela Fundação de Economia e Estatística (FEE). O índice ficou abaixo do previsto pelo governador Tarso Genro, que projetou taxa três vezes superior à nacional (2,3%), entre 6,6% e 6,8%, durante abertura oficial da 5ª Expodireto Cotrijal. 

A participação gaúcha no PIB nacional foi de 6,42%. Em termos monetários, o valor atingiu R$ 310,508 bilhões. O PIB foi impulsionado pelo desempenho da Agropecuária, que expandiu 39,7%, e da Indústria, com aumento de 2,9%. O economista Martinho Roberto Lazzari disse que o destaque na agricultura foi a soja, com aumento de 114,6%. Lembrou, contudo, que os outros grãos obtiveram incremento em relação ao ano anterior, o qual teve registro de seca. Ele também observou a participação dos outros setores. “Embora, a agropecuária seja o principal fator do crescimento, as outras áreas tiveram desempenho satisfatório”, salientou.

Os Serviços, por exemplo, tiveram expansão de 3,2%, puxados pelo Comércio (4,2%) e pelo Transporte (6,8%). “Os transportes dependem muito da safra e da indústria. Como esses dois setores foram bem, os transportes cresceram”, explicou. Já o Comércio sofreu a influência da baixa do desemprego (6,4%), crescimento real da renda (3%) e aumento do crédito (15,5), segundo Lazzari.

O quarto trimestre do PIB em 2013 no Rio Grande do Sul foi de 3,4% na comparação com 2012. Já o do Brasil foi de 1,9%. “Quando comparamos com a média do país, a do Estado foi muito maior”, disse Lazzari. O presidente
da FEE, Adalmir Antonio Marquetti, destacou que o resultado gaúcho foi melhor de que os demais estados que fazem a apuração trimestral. A diferença da média nacional é a maior dos últimos anos.

“Isso representa que o Rio Grande do Sul está entre os quatro estados mais importantes na economia do país e volta a crescer em um patamar que mostra a retomada da indústria e do setor primário”, observou o secretário do
Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, que participou da divulgação dos números.

* Com informações dos repórteres Karina Reif e Marcos Koboldt

Bookmark and Share