Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
27ºC
Amanhã
14º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/03/2014 20:48 - Atualizado em 12/03/2014 21:00

Engenheira que fez PPCI da Kiss diz que responsabilidade é da vistoria

Profissional destacou que seu trabalho foi indicar elementos de segurança necessários

Engenheira que fez PPCI da Kiss diz que responsabilidade é da vistoria<br /><b>Crédito: </b> João Vilnei / Especial CP
Engenheira que fez PPCI da Kiss diz que responsabilidade é da vistoria
Crédito: João Vilnei / Especial CP
Engenheira que fez PPCI da Kiss diz que responsabilidade é da vistoria
Crédito: João Vilnei / Especial CP

A engenheira responsável pela elaboração do Plano de Prevenção e Combate a Incêndio (PPCI) da boate Kiss, Josy Maria Gaspar Enderle, prestou depoimento nesta quarta-feira em Santa Maria, região central do Estado. A profissional fez o PPCI em 2009 e disse que a responsabilidade técnica seria da vistoria e de quem aprovou as adequações exigidas. Uma tragédia no local no ano passado deixou 242 mortos.

“O meu trabalho ficou focado apenas na indicação dos elementos de segurança necessários para que a casa noturna funcionasse”, comentou. Josy Maria deu detalhes do trabalho que realizou e destacou que o seu ex-companheiro, tenente da reserva do Corpo de Bombeiros na época, não teve nenhuma participação para liberação do alvará.

A audiência com a engenheira marcou o reinício dos depoimentos no processo da Kiss. A profissional detalhou a elaboração do PPCI durante auditoria da Justiça Militar de Santa Maria. O trabalho foi presidido pela juíza substituta Viviane de Freitas Pereira.

Processo administrativo da BM

No final do depoimento, representantes da defesa entregaram à juíza um documento resultado de um processo administrativo do Corpo de Bombeiros, que aprova a vistoria feita na casa noturna. O relatório informa que quatro dos oito réus foram considerados inocentes depois da conclusão de um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) realizado pela Brigada Militar (BM).

Os bombeiros considerados inocentes foram Marcos Vinicius Lopes Batisde (soldado dos bombeiros que inspecionou a Kiss), Gilson Martins Dias (soldado que realizou a última vistoria na Kiss em 2011), Vagner Guimarães Coelho (soldado que também realizou a última vistoria na boate em 2011) e Renan Sergio Severo Berleze de Andrade (sargento que atua na seção de Prevenção de Incêndio ).

Os bombeiros são acusados de crimes de inobservância da lei, regulamento ou instrução, porque as inspeções na boate em 2011 registraram a necessidade da troca de mangueiras do gás, mas não mencionaram a necessidade de instalação de uma central de gás. A próxima etapa do processo terá como foco as audiências na 1ª Vara Criminal com depoimentos nos dias 1º, 3, 4, 8 e 16 de abril no Salão do Fórum de Santa Maria.


Bookmark and Share

Fonte: Renato Oliveira / Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.