Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 13/03/2014
  • 00:22
  • Atualização: 00:43

Malásia envia avião de reconhecimento à zona com “objetos flutuando”

Satélite chinês detecto destroços que podem ser de avião desaparecido

  • Comentários
  • AFP

 As autoridades da Malásia informaram nesta quinta-feira que enviaram um avião de reconhecimento para a zona em alto mar onde um satélite chinês fotografou grandes "objetos flutuantes", a procura de destroços do Boeing 777 da Malaysia Airlines. "Um Bombardier foi enviado para investigar as imagens de destroços detectados por um satélite chinês", assinalou o ministro malaio dos Transportes, Hishammuddin Hussein, via Twitter.

O voo MH370 desapareceu na madrugada de sábado, com 239 pessoas a bordo, quando cobria a rota entre Kuala Lumpur e Pequim. A China anunciou na quarta-feira que um de seus satélites detectou três "objetos flutuantes" de certo volume em uma zona marítima na qual poderia ter desaparecido o Boeing da Malaysia Airlines.

A agência chinesa de ciência e tecnologia informou que o satélite já havia detectado os mesmos objetos na manhã do dia 9 de março, "em uma zona marítima onde o avião poderia ter caído". Os objetos flutuantes foram detectados em alto mar, a 105,63 graus de longitude leste, e 6,7 graus de latitude norte, segundo o site da agência chinesa. Os objetos medem 13 x 18 metros, 14 x 19 e 24 x 22, e estão dispersos por um raio de 20 quilômetros.

Oficiais americanos informaram nesta quarta que os satélites espiões dos Estados Unidos não detectaram sinais de explosão em voo por ocasião do desaparecimento do Boeing da Malaysia Airlines. O governo dos EUA já utilizou sua rede de satélites para detectar sinais de calor relacionados a explosões de aviões, mas desta vez não encontrou qualquer vestígio térmico, informaram os oficiais, que pediram para não ser identificados.

A ausência de vestígios de explosão só aumenta o mistério sobre o que ocorreu com o voo MH370.

Bookmark and Share