Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
15º 24º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/03/2014 13:29 - Atualizado em 14/03/2014 14:16

Reunião entre Kerry e Lavrov termina sem acordo sobre a Ucrânia

Representante dos EUA e da Rússia se encontraram em Londres para discutir situação do país

Lavrov (E) afirmou que Moscou e Washington não entraram em acordo<br /><b>Crédito: </b> Brendan Smialowski / AFP / CP
Lavrov (E) afirmou que Moscou e Washington não entraram em acordo
Crédito: Brendan Smialowski / AFP / CP
Lavrov (E) afirmou que Moscou e Washington não entraram em acordo
Crédito: Brendan Smialowski / AFP / CP

O ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, afirmou que Moscou e Washington não conseguiram aproximar suas posições sobre a Ucrânia durante reunião nesta sexta-feira. Segundo ele, o governo de Valdimir Putin vai respeitar a vontade da Crimeia no referendo de adesão à Rússia, no dia 16 de março.

Depois de várias horas de reunião em Londres com o secretário de Estado americano, John Kerry, Rússia e Estados Unidos continuam sem acordo sobre a situação do país ucraniano. Lavrov também disse que a Rússia não tem intenção de invadir o sudeste da Ucrânia, mesmo que tropas russas se acumulem do outro lado da fronteira.

O secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou nesta sexta-feira que é improvável que o presidente russo Vladimir Putin tome alguma decisão para frear a escalada na Ucrânia até a realização sobre o referendo da adesão da Crimeia à Rússia, no domingo. "Uma vez seja realizado o referendo, Putin tomará uma decisão" sobre os passos seguintes, afirmou Kerry, insistindo que nem os Estados Unidos nem a comunidade internacional "reconhecerão os resultados do referendo".

Durante conversa por telefone como secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o presidente Putin afirmou que o referendo organizado na Crimeia está de acordo com o direito internacional e a Carta das Nações Unidas. "Putin enfatizou que a decisão é totalmente conforme aos princípios", segundo um comunicado do Kremlin.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.