Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 21/03/2014
  • 15:20

Tarso Genro anuncia mais 23 escolas de turno integral no Estado

Previsão é de que, em 10 anos, metade das instituições de ensino estaduais sejam neste formato

Tarso Genro anuncia mais 23 escolas de turno integral no Estado | Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini / CP

Tarso Genro anuncia mais 23 escolas de turno integral no Estado | Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini / CP

  • Comentários
  • Gabriel Jacobsen / Rádio Guaíba

O governador Tarso Genro anunciou, na manhã desta sexta-feira, no Palácio Piratini, a implantação de mais 23 escolas de turno integral durante 2014, o que vai elevar para 53 o total de escolas neste formato no Estado. No evento, o governador voltou a prever que, até 2024, 50% das instituições de ensino fundamental operem neste formato.

Ao fim do evento, Tarso Genro reiterou a importância da integração entre os dois turnos e a necessidade de uma conexão entre os professores para o melhor aproveitamento dos alunos. "O objetivo não é ter mais um turno para os alunos ficarem lá, é ter mais um turno para que os alunos fiquem lá dentro em um processo de aprendizado. É por meio da ciência, do lazer e de práticas extracurriculares que os alunos vão convergir para uma boa formação”, completou o governador.

Das 23 novas instituições em turno integral, cinco delas ficam em Porto Alegre. São elas as escolas Alberto Bins, Maria José Mabilde, Dr. Heróphilo Carvalho de Azambuja, Júlio Bruneli e Euclides da Cunha. Santana do Livramento será a segunda cidade mais contemplada, com duas novas instituições.

Segundo informações da Secretaria Estadual da Educação, "a proposta pedagógica prevê para as escolas de tempo integral matriz curricular que incorpora a reestruturação curricular que vem sendo feita na Educação Básica, com a perspectiva da educação integral, como é o caso do trabalho por áreas do conhecimento (linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas)". Nestas instituições, a carga horária é de oito horas diárias, prevendo ainda atividades curriculares integradoras obrigatórias e optativas (agroecologia, memória histórica da comunidade, educação para a paz, cultura digital/informática educacional e línguas).

O prazo de 10 anos é colocado pela nova legislação de educação integral, proposta pela deputada Juliana Brizola (PDT). O Censo Escolar da Educação Básica de 2013 indica que a rede estadual gaúcha conta com 2.364 escolas de Ensino Fundamental.

Bookmark and Share