Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
19ºC
Amanhã
11º 19º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

22/03/2014 10:22 - Atualizado em 22/03/2014 10:39

Manifestantes pró-Rússia invadem base ucraniana no oeste da Crimeia

Milhares protestam em Donetsk para deixar controle da Ucrânia por Moscou

Milhares protestam em Donetsk para deixar controle da Ucrânia por Moscou<br /><b>Crédito: </b> Alexander Khudoteply / AFP / CP
Milhares protestam em Donetsk para deixar controle da Ucrânia por Moscou
Crédito: Alexander Khudoteply / AFP / CP
Milhares protestam em Donetsk para deixar controle da Ucrânia por Moscou
Crédito: Alexander Khudoteply / AFP / CP

Cerca de 200 manifestantes pró-Rússia invadiram uma base da Força Aérea ucraniana, neste sábado, no oeste da Crimeia. A invasão do grupo, que não portava armas, ocorreu na cidade de Novofedorivka. Manifestantes quebraram janelas ao invadir a base, enquanto funcionários ucranianos se refugiavam no interior de prédios locais e lançavam bombas de gás na direção dos invasores.

Em referendo realizado no último dia 16, a república autônoma da Crimeia decidiu abandonar a Ucrânia e voltar a fazer parte da Rússia. Depois de as duas Câmaras do Parlamento russo ratificarem o tratado, o presidente Vladimir Putin assinou nessa sexta-feira a lei de anexação. A assinatura ocorreu numa cerimônia no Kremlin e transmitida pela televisão, com aplausos dos parlamentares, que cantaram o Hino Nacional russo.

A posição da Crimeia reforçou em outras localidades da Ucrânia protestos para redefinição das fronteiras. Neste sábado, mais de 5 mil residentes pró-Rússia de Donetsk fizeram uma manifestação para pedir um
referendo sobre a secessão da área e posterior anexação pela Rússia. A votação na Crimeia, contudo, foi considerada ilegítima por países do Ocidente.

Com a Crimeia agora efetivamente sob controle de forças russas, crescem temores de que habitantes de territórios na região leste da Ucrânia também busquem a secessão. A Rússia deslocou grandes contingentes militares para áreas próximas à fronteira com o leste ucraniano. O presidente russo, Vladimir Putin, afirma não ter intenção de invadir a região, mas a perspectiva de violência entre grupos favoráveis e contrários à secessão no leste da Ucrânia pode ser usada como pretexto para a entrada de tropas russas.

O leste é o centro das indústrias pesada e de mineração da Ucrânia e base de apoio de Viktor Yanukovich, o presidente ucraniano que fugiu para a Rússia no mês passado após ser deposto em meio a manifestações iniciadas várias semanas antes em Kiev, capital do país.

Bookmark and Share


Fonte: AE






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.