Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 22/03/2014
  • 16:39
  • Atualização: 16:52

“Se fossem 242 cachorros, responsáveis estariam presos”, desabafa pai

Ministra Maria do Rosário visitou Santa Maria para lançar Centro de Referência em Direitos Humanos

  • Comentários
  • Renato Oliveira / Correio do Povo

Parentes e amigos de vítimas da tragédia da boate Kiss aproveitaram a visita da ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, ao Estado, neste sábado, para cobrar punições aos responsáveis pelo incêndio que completou um ano em 27 de janeiro. Sérgio Silva da Associação dos Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AFVST) foi o mais enfático: “Estou triste por ter que cobrar justiça. Se fossem 242 cachorros, os responsáveis pela tragédia da Kiss estariam presos”, desabafou o pai de uma das vítimas.

• A cobertura do primeiro ano da tragédia na boate Kiss

Silva foi mais além.“Temos que reverter esta situação ou militares terão que intervir para fazer justiça? Cadê a democracia? Estamos levando ‘na cabeça’ e ninguém faz nada”, reclamou. Em resposta, a ministra lembrou que o trabalho da secretaria é mais amplo e que busca atender a todos. “Estamos aqui para apoiar os que sofrem injustiça e não para atender exclusivamente vítimas da Kiss”, rebateu. “Não concordo com a alusão aos militares. Familiares das vítimas da ditadura não merecem que lembrem a situação trágica que viveram”, advertiu a ministra.

A ministra assinou convênio para implantação do Centro de Referência em Direitos Humanos em Santa Maria. O centro terá como uma das atribuições atender jurídica-social e psicologicamente as pessoas que enfrentam traumas decorrentes do incêndio que culminou na morte de 242 pessoas.

Bookmark and Share