Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 26/03/2014
  • 07:21
  • Atualização: 09:36

Pequena capital, grande cidade

Porto Alegre completa nesta quarta-feira 242 anos

Pôr do sol do Guaíba é cartão-postal da cidade | Foto: Fabiano do Amaral

Pôr do sol do Guaíba é cartão-postal da cidade | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Correio do Povo

"Há tanta esquina esquisita, tanta nuança de paredes, há tanta moça bonita." Foi assim que Mario Quintana, poeta nascido em Alegrete, definiu algumas das partes do corpo de Porto Alegre, cidade que adotou ainda criança. Quintana tinha razão. A capital brasileira mais meridional do país é um corpo vivo, uma mistura de sutilezas. Une jeito de cidade grande a ares do Interior. Tem engarrafamentos no horário de pico, mas conserva armazéns que vendem fiado. Prédios espelhados e avenidas contrastam com calçadas e construções históricas. Nos 81 bairros que abriga, as pessoas ainda se cumprimentam na rua. Alguns se conhecem até pelo nome. Quem nunca saiu para caminhar a esmo e encontrou um conhecido numa esquina qualquer da cidade?

• Porto Alegre: uma cidade acolhedora
• Porto Alegre: espaço para arte, trabalho e realização
• "Ainda vou andar de metrô e tomar banho no Guaíba", diz prefeito

O corre-corre diário do Centro abre margem apenas para um "oi, tudo bem?" apressado. Há um choque de cores, seja de roupas, seja de peles ou seja de cabelos, entre aqueles que atravessam a Rua dos Andradas em dias de trabalho. Pressa que destoa dos finais de semana. Aos domingos, o Centro Histórico atinge a calmaria necessária para se observar as esquinas esquisitas e a nuança das paredes vistas por Quintana. Com olhos mais tranquilos, é possível notar os detalhes da arquitetura do Mercado Público - que sobreviveu a quatro incêndios e a uma inundação -, os pássaros que sobrevoam o Cais e a Praça da Alfândega, que recebe a maior Feira do Livro da América Latina.

Porto Alegre é verde. Há uma árvore para quase cada um dos seus 1.467.816 habitantes. Porto Alegre é cinza. Pelo menos 800 mil automóveis circulam diariamente - há um carro para cada dois habitantes. Porto Alegre é laranja. Ou melhor, fica multicolorida na hora do crepúsculo. Apesar de controvérsias, abriga o pôr do sol mais bonito do Brasil. O sol que dorme dentro do Guaíba.

Palco do primeiro enfrentamento da Guerra dos Farrapos, batalha que ocorreu nas proximidades da atual ponte da Azenha, que cruza a avenida Ipiranga, em 20 de setembro de 1835, Porto Alegre, hoje, é pacífica. Porto dos casais, dos solteiros e dos divorciados. Festeja o Carnaval, no Complexo Cultural do Porto Seco e no meio das ruas do bairro Cidade Baixa. Convida a piqueniques noturnos no Parcão e na Redenção. Ainda mantém uma zona rural, nos confins de seu extremo Sul.

Um lugar onde a umidade consegue chegar a 100% - segurando a chuva, às vezes, por dias - só para destruir a chapinha das gurias, fazer os guris suarem mais do que o normal no futebol e a população reclamar do calor que logo ali, em meados de junho, transforma-se em frio de renguear cusco. Porto adotivo de muitos, que a amam como se fosse mãe biológica. Uma cidade onde a rotina só se torna presente na vida dos que apenas somam dias. Fundada no outono de 1772, Porto Alegre ainda conserva bem definidas as quatro estações do ano, que se mostram, às vezes, em um mesmo dia.

Apesar das 242 primaveras que completa neste 26 de março, a cidade ainda engatinha. Há muitas questões mal resolvidas. A começar pela definição do Guaíba. É rio, estuário ou lago? Fato é que as águas poluídas são as que, depois de tratadas, abastecem a cidade. Porto Alegre trocou bonde por ônibus, mas ainda almeja um metrô - que não se sabe ao certo quando chegará. A cidade clama por ciclovias, enquanto o saneamento básico ainda não alcançou todas as residências.

Uma Capital com seis acessos e de um túnel só, o da Conceição - recentemente transformado em galeria de arte por grafiteiros. Abriga a rua mais bonita do mundo: a Gonçalo de Carvalho com seu túnel verde. Uma cidade que ainda não é 24 horas. Porto Alegre, parabéns! Muitas felicidades àqueles que vivem, viveram e - quem sabe um dia - irão viver em ti.

Porto Alegre em números:

. 496,684 km² é a área territorial total da cidade

. 99,5% da população é abastecida com água

.11,8% dos porto-alegrenses ainda não têm esgoto encanado

. Já a coleta de lixo alcança 100%

 . O bairro Rubem Berta é o mais populoso, com 87.367

. A Capital conta com 11 parques e 619 praças

. A taxa de alfabetização da população alcança 97,8%

. Na Capital, 54% são do sexo feminino e 20,2% são negros

* Dados da Prefeitura de Porto Alegre

Bookmark and Share


TAGS » Porto Alegre, Geral