Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 26/03/2014
  • 09:27
  • Atualização: 09:45

Cai número de famílias gaúchas endividadas em março, aponta Fecomércio

Levantamento confirma cenário relativamente saudável do endividamento

  • Comentários
  • Correio do Povo

Em março, o percentual de famílias gaúchas endividadas apresentou queda na comparação com o mesmo mês do ano passado. Conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor Gaúcho (PEIC), divulgada pela Fecomércio-RS nesta quarta, das 600 famílias ouvidas pelo levantamento, 52,2% afirmaram estar endividadas, contra 55,5% que informaram estar na mesma situação em março de 2013.

“Tal redução é coerente com a atual conjuntura de crescimento mais moderado do consumo e do crédito, influenciado pelos efeitos da inflação sobre a renda real das famílias, o aumento dos juros e maior seletividade dos bancos na concessão de crédito”, avaliou o presidente da Fecomércio-RS, Zildo De Marchi.

Já a parcela da renda familiar comprometida com dívidas apresentou elevação, passando de 26,4% em março de 2013, para 31,3% em março deste ano. O tempo de comprometimento com dívidas manteve-se estável em 7,4 meses na comparação com o mês anterior, e acima dos 6,8 meses, nível apurado em março do ano passado.

O cartão de crédito (67,1%) continua liderando, de forma isolada, todos os tipos de dívidas assumidas pelas famílias gaúchas, seguido pelos carnês (26,8%) e financiamento de veículos (17,5%).

Também o percentual de famílias com contas em atraso apresentou crescimento em março (22,8%) na comparação com março de 2013 (19,2%). A pesquisa ainda constatou um recuo no percentual de famílias que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso em 30 dias. Em março de 2014, esse índice foi de 7,1%, contra 9,2% em março do ano passado.

Para Zildo De Marchi, os resultados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor Gaúcho – PEIC de março confirmam um cenário relativamente saudável do endividamento. “Analisando seu comportamento tendencial, o percentual de famílias endividadas permanece em trajetória de queda, atingindo os menores valores da série da pesquisa iniciada em 2010”, considera o presidente da Fecomércio-RS.

Bookmark and Share