Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Economia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/03/2014 12:06 - Atualizado em 26/03/2014 15:26

Desemprego em Porto Alegre cai de 6,2% para 5,6%

Taxa é a menor para fevereiro desde 1998, aponta Dieese

O desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre sofreu leve queda em fevereiro em relação ao mês anterior, segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira. A taxa de 5,6% é a menor para o mês desde o início da série histórica, que começou em 1998. 

A economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Virgínia Donoso, explicou que índice é considerado estável. O número total de desempregados em fevereiro foi de 106 mil pessoas – 2 mil menos do que em janeiro.

Em fevereiro, o nível ocupacional da Região Metropolitana de Porto Alegre ficou em 0,2%. O total de ocupados foi estimado em 1,7 milhão de pessoas, 4 mil a mais do que no mês anterior. A indústria de transformação contribuiu com 9 mil ocupados a mais, já a construção civil, com 6 mil. Por outro lado, os setores de comércio, reparação de veículos automotores e motocicleta registraram variação negativa (-0,8%), o que representou 3 mil ocupados a menos.

No conjunto das seis regiões no Brasil, em fevereiro, o total de desempregados foi estimado em 2,1 milhões – 174 mil a mais do que no mês anterior. A taxa de desemprego total subiu de 9,5% em janeiro para 10,3% em fevereiro. Na comparação entre as capitais, Salvador registrou a maior taxa (17,7%), seguida por Recife (12,2%), São Paulo (10,6%) e Fortaleza e Belo Horizonte (7,7%). "Porto Alegre está sempre em situação melhor. Belo Horizonte, capital que costumamos comparar teve uma elevação", comentou Virgínia.

Na comparação com fevereiro de 2013, a taxa de desemprego total da Região Metropolitana de Porto Alegre reduziu de 6,2% para 5,6%. Em janeiro, o rendimento médio real do total de ocupados apresentou leve oscilação de 0,3%. Em termos monetários, esses rendimentos passaram a corresponder a R$ 1.799.

Bookmark and Share


Fonte: Karina Reif / Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.