Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 28/03/2014
  • 21:21
  • Atualização: 21:46

Região sul do Estado irá substituir de mais de 7,6 mil vacinas contra HPV

Doses são do mesmo lote que causou alergia em seis meninas no RS

  • Comentários
  • Correio do Povo

Pelo menos 7.674 doses da vacina contra o vírus HPV serão substituídas a partir de segunda-feira pela 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS). São 22 municípios da área de abrangência na zona Sul do Estado, conforme o titular, Milton Martins. O número equivale a 35% do total de unidades distribuídas na região e pertence ao lote JO13031, o mesmo das doses que resultaram em reações em seis meninas no Estado. A região recebeu 21 mil doses. Martins assegura que não foram registradas reações adversas em nenhuma das 22 cidades até agora, no entanto.

Segundo ele, somente após a substituição na segunda é que a CRS determinará quantas destas doses foram efetivamente aplicadas. A vacinação continua após a troca. “Ficou a critério de cada município suspender ou não a vacinação”, disse. Em Pelotas, decidiu-se pela suspensão da agenda até a chegada do novo lote, do Ministério da Saúde. Segundo a Vigilância Epidemiológica, na cidade, a situação é normal, mas, por precaução, estão sendo recolhidas as doses. Além de Pelotas, integram a área da 3ª CRS Amaral Ferrador, Arroio do Padre, Arroio Grande, Canguçu, Capão do Leão, Cerrito, Chuí, Cristal, Jaguarão, Morro Redondo, Pedras Altas, Pedro Osório, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santana da Boa Vista, Santa Vitória do Palmar, São José do Norte, São Lourenço do Sul e Turuçu.

Cinco casos de reação foram registrados na Capital, sendo que três meninas, de 13 anos, apresentaram mal-estar, dores e náusea. As outras duas tiveram sintomas semelhantes, mas de menor intensidade. Todas foram atendidas por médico, sem necessidade de hospitalização. O sexto caso foi de uma garota residente em Veranópolis, de 11 anos, que, após ser vacinada, teve crise convulsiva, mas passa bem.

A Secretaria Estadual da Saúde reitera que a vacina é segura e recomendada pela Organização Mundial da Saúde. As seis meninas que apresentaram reação, conforme o órgão, foram vacinadas com doses do mesmo lote, composto por 89 mil unidades e que teve o uso suspenso por precaução. “Os eventos relacionados às reações adversas atípicas estão sendo investigados pelo Programa Estadual de Imunizações junto às equipes que atenderam as crianças. A vacinação não foi prejudicada e continua disponível em todo o Estado conforme o calendário pré-definido”, diz a nota da secretaria.

A meta no Estado é imunizar 80% das 258 mil meninas com idade de 11 a 13 anos até 10 de abril. Já foram aplicadas 113 mil doses. A vacina protege contra quatro tipos de HPV, que pode causar câncer de colo de útero.


Bookmark and Share