Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 30/03/2014
  • 16:32
  • Atualização: 16:34

Cabral diz que estado não tolera o poder paralelo do crime organizado

Governador do Rio disse que a ocupação do Complexo da Maré marca um novo tempo na vida das pessoas da comunidade

  • Comentários
  • Agência Brasil

O governador do Rio, Sérgio Cabral, disse que a ocupação do Complexo da Maré pelas forças de segurança marca um novo tempo na vida das pessoas da comunidade, e é um dia histórico para o Rio de Janeiro. Para ele, o estado “não poderia mais tolerar o domínio do poder paralelo” nas 15 favelas que integram o Complexo da Maré.

• Justiça autoriza revista a casas no Complexo da Maré
• Moradores pedem melhorias sociais após ocupação no Rio

Na avaliação do governador, a ocupação é, do ponto de vista simbólico, “significativa na medida em que se demonstra que não vamos tolerar, em hipótese alguma, o poder paralelo, seja ele do comando A ou B. São gerações e gerações lá nascidas e acostumados a conviver com traficantes armados de fuzis, determinando quem entra e quem sai da localidade”.
Ele lembrou o drama vivido por jovens e pais que perdiam amigos e filhos para o tráfico. “Quantos jovens que lá vivem não presenciaram os amigos deixarem as salas de aula e as brincadeiras para ingressar no crime. Quantas mães não assistiram, desesperadas, a perda de seus filhos para o tráfico”.

A ocupação da Maré, disse o governador, sob este aspecto “tem a simbologia da retomada da cidade pela cidade – é uma cidade que se reintegra à cidade. É por isto que eu digo: é um dia histórico para o Rio de Janeiro e é este o agradecimento que eu procurei transmitir à presidenta Dilma, que nos apoiou nesta empreitada”.

Bookmark and Share