Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 31/03/2014
  • 18:36
  • Atualização: 18:42

Pesquisadores espanhóis dizem ter encontrado Santo Graal

Dupla afirma que cálice da basílica de San Isidro é objeto mítico da última ceia de Cristo

A taça em San Isidro era chamada até então de cálice de Infanta Doña Arca | Foto: Cesar Manso/AFP/Getty Images/CP

A taça em San Isidro era chamada até então de cálice de Infanta Doña Arca | Foto: Cesar Manso/AFP/Getty Images/CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A publicação de livro por dois pesquisadores espanhois gerou grande comoção numa igreja da cidade de León, na Espanha, conforme o jornal inglês The Guardian. Os historiadores da universidade local, Margarita Torres e José Manuel Ortega del Rio afirma que um cálice exibido no templo local é o lendário Santo Graal.

Milhares de visitantes se acumularam na Basílica de San Isidro na tentativa de ver a relíquia que, pela mitologia, teria tocado os lábios de Cristo na última ceia e poderia conceder imortalidade. Por segurança, os sacerdotes tiraram o suposto artefato sagrado das vitrines de exposição.

Feito de ágata, ônix e ouro, a taça em San Isidro, chamada até então de Infanta Doña Arca, é formada pelo encaixe de dois cálices, um de cabeça para cima e outro para baixo. Conforme os historiadores espanhois o objeto, na verdade, seria o próprio Graal, dado de presente ao Rei Fernando como tributo pela paz com um reino muçulmano da antiguidade. Apesar disso, eles ainda não tem provas inapeláveis da origem da taça. Apenas na Europa, 200 cálices já foram alçados à condição de Santo Graal, sem confirmação.


Bookmark and Share