Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 01/04/2014
  • 13:49
  • Atualização: 13:53

Faturamento dos supermercados gaúchos cresceu 7,39% em 2013

Empresas acumularam faturamento bruto total de R$ 17 milhões

Empresas acumularam faturamento bruto total de R$ 17 milhões | Foto: Marcelo Camargo / ABr / CP

Empresas acumularam faturamento bruto total de R$ 17 milhões | Foto: Marcelo Camargo / ABr / CP

  • Comentários
  • Claudio Isaías / Correio do Povo

Os supermercados gaúchos cresceram 7,39% no ano passado e apresentaram um faturamento de R$ 21, 9 bilhões. Os resultados fazem parte do ranking da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) 2013 divulgados nesta terça-feira pelo presidente da Agas, Antônio Cesa Longo. O levantamento com 331 empresas foi realizado entre os meses de janeiro e março deste ano.

Segundo Longo, as empresas participantes do estudo acumularam um faturamento bruto total de R$ 17 milhões. Os estabelecimentos representam, de acordo com a Agas, 81,8% do faturamento total do segmento supermercadista do Rio Grande do Sul. Conforme Longo, o faturamento de R$ 21,9 bilhões, representou 7,05% do PIB do RS estimado pela Fundação de Economia e Estatística (FEE), que foi de R$ 310,5 bilhões em 2013.

A representatividade do Estado no total do setor supermercadista brasileiro também cresceu de 7,7% em 2012, para 8% no ano passado. “Os supermercados brasileiros registraram um faturamento de R$ 272,2 bilhões em 2013, um crescimento real de 5,8% na comparação com 2012”, destacou.

De acordo com Longo, as empresas que participaram da pesquisa empregam 66,1 mil funcionários, distribuídos em 933 lojas. “Ao contrário de 2012, a mão de obra feminina superou a masculina em 2013. As mulheres são 51,9% no setor contra 48,1% de homens”, ressaltou. O ranking Agas 2013 mostra ainda que juntas as dez maiores empresas do setor obtiveram um faturamento de R$ 12,09 bilhões no ano passado, o que representou 55,20% do total do setor. Em 2012, as companhias tinham 50,39% de lucro.

O levantamento destaca ainda que um em cada quatro supermercados projetam algum tipo de investimento em novas lojas ou reformas de unidades já existentes em 2014. A pesquisa mostra que serão investidos pelos menos R$ 72 milhões em reformas de supermercados este ano.

O estudo mostrou que pelo menos 62% dos consumidores não utilizam mais dinheiro para pagar as compras no supermercado. A opção é pela praticidade: cartão de crédito (34,3%) ou débito (28,2%). Somente 24,9%, ainda utilizam dinheiro nas compras do mês. ”O uso do cartão é uma realidade, o dinheiro representa somente 24% e isso é bom. Acaba reduzindo o risco para o consumidor e para o estabelecimento, já que cada vez existe menos volume de dinheiro em espécie. Então, a questão eletrônica é saudável para todos”, destacou Longo. O ticket é utilizado por 5,2% e o cheque pré-datado por 5,6% dos consumidores.

Bookmark and Share